Cientistas descobrem fêmeas de condores virgens que deram à luz

No reino animal, o fenômeno de ficar grávida mesmo sendo virgem é bastante possível. Diversas espécies — incluindo pássaros e répteis — exibem uma reprodução sem a participação do macho, seja de forma facultativa, obrigatória ou acidental.

Anteriormente, pensava-se que isso era apenas uma curiosidade rara entre os vertebrados, mas a Ciência vem mostrando que as “mães virgens” nos seres multicelulares mais complexos são muito frequentes no meio selvagem, sendo o  Dragão de Komodo e o Tubarão-Martelo os casos mais conhecidos.

Fêmeas de condores virgens

(Reprodução/National Geographic)(Reprodução/National Geographic)

Em novembro deste ano, biólogos americanos constataram que dois condores-da-califórnia, uma ave considerada criticamente ameaçada de extinção, tiveram filhotes sem a necessidade de um parceiro macho. Isso surpreendeu os cientistas porque, até então, não se sabia que os condores eram capazes de fazer a reprodução assexuada ou partenogênese.

A descoberta da organização não governamental (ONG) San Diego Zoo Wildlife Alliance foi publicada na revista científica Journal of Heredity, da American Genetic Association.

Descoberta por acaso

(Reprodução/San Diego Zoo)(Reprodução/San Diego Zoo)

A descoberta aconteceu por acaso durante uma análise de rotina de amostras biológicas de dois condores-da-califórnia. Os cientistas confirmaram que cada filhote estava geneticamente relacionado à respectiva fêmea que pôs o ovo do qual ele eclodiu, mas nenhum deles eram geneticamente relacionados a um macho.

“Essa é uma descoberta incrível. Não estávamos procurando evidências de partenogênese. Só a confirmamos por causa dos estudos genéticos normais que fazemos para provar a ascendência. Nossos resultados mostraram que ambos os ovos têm os cromossomos sexuais masculinos ZZ esperados, mas todos os marcadores foram herdados apenas de suas mães”, revelou Oliver Ryder, diretor de Genética de Conservação do Kleberg Endowed na San Diego Zoo Wildlife Alliance.

Os pesquisadores explicam que a partenogênese é um fenômeno bem conhecido na Ciência, mas relativamente raro em aves e normalmente observado em fêmeas que não têm acesso a machos, mas, nesse caso, estavam em um ambiente com a presença de machos.

A partenogênese é uma forma natural de reprodução assexuada em que um embrião não fertilizado por espermatozoides continua a se desenvolver, contendo apenas materiais genéticos da mãe. 

Condores em extinção

(Reprodução/National Geographic)(Reprodução/National Geographic)

O condor-da-califórnia ou condor-californiano é a maior espécie de ave nativa da América do Norte. A envergadura de suas asas pode chegar a 3 metros, e o seu peso a 14 kg. Com uma visão excelente, ele pode encontrar suas presas do alto do céu rapidamente, como veados e ovelhas.

Eles fazem parte do que se chama “equipe de limpeza da natureza”, já que se alimentam essencialmente de carniça (carcaça de animais mortos). Além disso, esses animais têm poucos filhotes, já que as fêmeas geralmente botam um ovo a cada 2 anos. Quando acasalam com machos, praticam a monogamia e ficam ao lado do companheiro para o resto da vida.

Há apenas cerca de 500 condores-da-califórnia no sudoeste dos Estados Unidos e do México. Na década de 1980, o número de aves da espécie caiu para menos de 30, mas, a partir de esforços de preservação, a população aumentou nos últimos anos.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.