Quais são os efeitos da privação emocional na vida de um bebê?

De que forma uma criança que cresce em um lar amoroso percorre o caminho da vida de modo mais fácil do que aquelas que tiveram que lidar com a negligência parental desde cedo?

Segundo um estudo feito pela Universidade Harvard, o descaso dos pais pode ser algo tão prejudicial aos desenvolvimentos físico, psicológico e emocional na primeira infância quanto os casos de abuso e violência explícita.

Depressão e ansiedade são dois tipos de transtorno com grande impacto em nossas relações afetivas e que, em grande parte, têm origem em acontecimentos da vida jovem. Sendo assim, a forma como fomos tratados quando crianças gera um grande impacto na maneira como vamos lidar com nossas vidas pessoais e profissionais quando adultos.

O que é a negligência parental?

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Além de não ser passível de punição por lei, a negligência parental é um termo difícil de analisar cultural e socialmente. Por mais que os Conselhos Tutelares atuem como órgãos para proteger as crianças do descaso dos pais, mesmo o Estatuto da Criança e do Adolescente não apresenta nenhum tipo de punição específica para tal ato no Brasil.

Porém, podemos descrever um pai ou uma mãe negligente aquela pessoa incapaz de cuidar de seu filho, não atendendo às necessidades básicas físicas, emocionais e psicológicas dele. A negligência emocional, diferente do que acontece com a violência física, provoca efeitos graves no desenvolvimento de um jovem, só que de forma silenciosa.

A falta de um vínculo afetivo pode fazer uma criança crescer com dificuldade de formar laços emocionais, apresentando grande insegurança, mesmo que tenham sido estimulados os campos cognitivo e motor. Portanto, o desenvolvimento de uma criança depende de um conjunto de fatores para que ela atinja seu ápice evolutivo e, nesse ponto, o amor parental é tão importante quanto qualquer outro elemento.

Como evitar a violência silenciosa?

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Um dos grandes problemas que causam a privação emocional e a negligência parental é a expectativa dos pais quanto aos seus filhos. Por acharem que toda criança nascerá perfeita, muitos papais e mamães de primeira viagem não se preparam emocionalmente para a dificuldade e o trabalho que é cuidar de um recém-nascido, por exemplo.

Crianças que nascem com algum tipo de deficiência ou síndrome costumam ser as mais afetadas. A idealização do bebê faz que alguns desses pais abandonem seus filhos em instituições ou simplesmente não forneçam o apoio emocional necessário para o seu desenvolvimento. A longo prazo, essa criança pode nunca aprender a superar adversidades pelo fato de seus pais não terem lidado com isso de forma saudável no passado.

Rupturas emocionais na vida do casal, como algum tipo de conflito interno ou divórcio, também podem aparecer como problemas em potencial. Nesse tipo de situação, os adultos tendem a voltar todas as atenções para sua situação pessoal e deixam a saúde emocional da criança de lado.

Para lidar com a negligência parental ou evitá-la, é essencial que os jovens tenham uma rede de apoio e se sintam tanto acolhidos como estimulados nos primeiros anos de vida. Um jovem que se desenvolve com experiências afetivas positivas no decorrer na infância costuma se tornar mais aberto ao mundo e, consequentemente, mais feliz. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.