Seja o primeiro a compartilhar

Comprovado: gatos podem copiar a personalidade de seus donos

Há um consenso popular que diz que um cachorro se parece com seu dono. Porém, esse caso não se aplica apenas a eles, pois os gatos também são capazes de refletir (e muito) parte da personalidade de seus proprietários.

Um estudo divulgado há algum tempo na revista Plos One analisou três mil humanos e seus gatos. Os pesquisadores conduziram uma série de entrevistas para tentar mapear cinco traços para o teste: neurose, extroversão, amabilidade, abertura e consciência. Após algumas análises, chegou-se à conclusão de que a percepção de tais traços nos humanos é equivalente à percepção em seus parceiros felinos.

Dessa forma, uma pessoa um pouco mais neurótica tende a criar um gato que segue o mesmo caminho, enquanto aqueles humanos que possuem um aspecto mais "grudentos" vão acabar gerando um pet que age dessa forma.

Pesquisa comprova que não apenas os gatos, mas também cachorros, são capazes de adotar traços das personalidades de seus donos. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)Pesquisa comprova que não apenas os gatos, mas também cachorros, são capazes de adotar traços das personalidades de seus donos. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

"Muitos donos consideram os animais como um membro da família, criando laços sociais com eles. É, portanto, muito possível que os animais sejam afetados pela maneira como interagimos com eles, e que esses fatores influenciam as personalidades", comentou Lauren Finka, professora da Universidade Nottinghan Trent e uma das responsáveis pelo estudo, ao site The Telegraph.

Para a pesquisadora, também é preciso considerar em que grau esse tipo de influência é bom ou ruim para os animais (afinal, isso pode afetar o relacionamento dos bichanos com outros iguais). 

Tal como nos gatos, um estudo similar foi conduzido com cachorros e chegou aos mesmos resultados, provando que de fato nossos pets são reflexos daquilo que fazemos e como agimos.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.