Seja o primeiro a compartilhar

Lampreia do Pacífico: o peixe sanguessuga que sobreviveu a 4 extinções em massa

Naturais de ecossistemas de água doce e marinhos no Pacífico Norte, a Lampreia do Pacífico é um animal bastante curioso. Esses peixes podem ser encontrados da Califórnia até o Alasca e também através do Mar de Bering, até à Rússia e ao Japão. Sobrevivem principalmente do sangue e fluidos corporais de outros peixes, como um sanguessuga.

Um fato curioso sobre esses animais é que eles pertencem a um grupo de peixes antigos e sem mandíbula que evoluíram há mais de 450 milhões de anos, durante o período Ordoviciano. Logo, isso também significa que essas brilhantes criaturas atravessaram quatro extinções em massa sem grandes danos.

Peixes curiosos

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Ao todo, existem cerca de 40 espécies vivas de lampreias espalhadas pelo mundo. Essas criaturas se assemelham a enguias, subindo e descendo rios muito antes de dinossauros e até mesmo várias árvores existirem. Com isso, viram o mundo se transformar diversas vezes enquanto evoluíram de maneira bem peculiar.

As lampreias do Pacífico são peixes desossados e seus "esqueletos" são feitos inteiramente de cartilagem. Outro fato curioso sobre elas, como citado anteriormente, é que elas simplesmente não possuem uma mandíbula. Em vez disso, esses peixes têm uma boca em forma de ventosa com muitos dentes.

Essas armas predatórias são usadas para agarrar em suas presas e extrair uma boa quantia de sangue e fluidos corporais. Pelo que os cientistas sabem até hoje, não existe qualquer indício que esses animais se alimentem de carne. Em geral, uma fêmea dessa espécie pode depositar até 200 mil ovos em ninhos construídos em água doce durante três a quatro semanas. 

Nascimento e evolução

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Depois que essas inúmeras larvas eclodem, as lampreias se enterram no sedimento e permanecem nessa posição por até uma década. Esse período serve para que os filhotes se desenvolvam e emerjam como juvenis, migrando rio abaixo para o oceano em busca de alimento. Uma lampreia só retornará para o seu lar em habitats de água doce vários anos depois — quando se reproduzirão.

Um adulto dessa espécie pode crescer até 84 centímetros de comprimento. É comum que uma lampreia viaje centenas de quilômetros para o interior somente em busca de um local perfeito para desovar e procriar. Apesar de terem sobrevivido a quatro extinções em massa na história de nosso planeta, não acredite que esses peixes dominam a cadeia alimentar.

Na verdade, as lampreias do Pacífico são presas muito desejáveis para várias espécies de aves, mamíferos e outros peixes devido à sua carne extremamente gordurosa, algo que pode ser explicado por conta de sua alimentação. Uma lampreia chega a ter de três a cinco vezes mais calorias por peso do que um salmão.

Sendo assim, esses animais desempenham um papel importantíssimo nos ecossistemas de água doce e marinhos. Logicamente, o fato deles procriarem em grandes quantidades é algo que facilita a sobrevivência na natureza, além de ser extremamente útil para o meio ambiente.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.