Seja o primeiro a compartilhar

Afinal, o que 'atrai' insetos para a luz? A resposta pode ter a ver com vertigem dos bichos

Uma equipe internacional de cientistas acredita ter finalmente encontrado a resposta do porquê os insetos passarem as noites "fissurados" em volta das luzes artificiais. Utilizando câmeras de alta velocidade e tecnologia de captura de movimento para mapear sua trajetórias de voo em 3D, os pesquisadores identificaram novas informações.

De acordo com o estudo, a luz artificial parece prender mariposas e outros insetos voadores em um padrão de voo instável, fazendo com que eles percam a noção de cima e de baixo — uma vez que estão acostumados a seguir a luz no céu noturno. Logo, essas criaturas não seriam necessariamente atraídas pela luz, mas provavelmente ficam "tontas" e presas em seu brilho.

Impacto das luzes artificiais

(Fonte: Jamie Theobald/Divulgação)(Fonte: Jamie Theobald/Divulgação)

Conforme o estudo publicado na revista Nature Connections, mariposas e borboletas habitam a Terra há pelo menos 200 milhões de anos. Nesse período, insetos que voam à noite podem ter evoluído para inclinar suas cabeças para trás na direção mais brilhante. Essa fonte de luz eram originalmente as estrelas e a Lua no céu. Isso garantia que os insetos soubessem qual era o caminho correto e mantivessem seus voos nivelados.

Contudo, quando as fontes de luz artificial começaram a encher o nosso planeta, essas criaturas se viram inclinando as costas para as lâmpadas das ruas ou para fogueiras. Esse "distúrbio" humano fez com que eles voassem em voltas infinitas ao redor do poste de luz, pois passaram a ficar presos por instintos aprendidos ao longo de milhões de anos de evolução.

“Esta tem sido uma questão pré-histórica. Nos primeiros escritos, as pessoas notavam isso perto do fogo”, disse Jamie Theobald, coautor do estudo e biólogo da Universidade Internacional da Flórida, em comunicado oficial. Na visão do pesquisador, o novo estudo surgiu para responder todas as especulações que existiam até o momento.

Rotas de voo confusas

(Fonte: GettyImages)(Fonte: GettyImages)

No estudo, uma equipe de pesquisadores internacionais na floresta nublada da Costa Rica usou gravações de vídeo infravermelho de alta resolução e alta velocidade para capturar as trajetórias de voo de insetos em torno de luzes artificiais. Eles coletaram mais de 477 vídeos abrangendo mais de 11 ordens de insetos.

Essa tecnologia foi capaz de capturas as órbitas rápidas e frenéticas das criaturas pelas luzes e foi usada para reconstruir pontos de suas trajetórias de voo em três dimensões. A equipe de estudos notou que mariposas e libélulas davam as costas às luzes artificiais, que pareciam mudar drasticamente suas trajetórias de voo.

“O mais dramático de tudo é quando eles voam diretamente sobre uma luz. Eles se viram de cabeça para baixo e isso pode causar acidentes. Isso realmente sugere que a mariposa está confusa quanto à direção correta”, afirmou o coautor Sam Fabian. Este estudo é a primeira documentação conhecida deste comportamento em insetos noturnos e fornece uma nova explicação possível sobre o porquê das luzes parecerem atrair mariposas.

Segundo os especialistas, a poluição luminosa é uma das principais razões por trás do recente declínio nas populações de insetos e a expectativa é que os novos dados possam fornecer informações suficientes para que conservadores desenvolvam novas medidas para compensar os impactos negativos das criações humanas. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.