Teste seus conhecimentos sobre o inverno e veja 6 fenômenos típicos do frio
20
Compartilhamentos

Teste seus conhecimentos sobre o inverno e veja 6 fenômenos típicos do frio

Último Vídeo

Sim, nós sabemos: falar de frio em pleno verão é um sacrilégio, mas tem alguns assuntos que merecem ser abordados, mesmo na hora errada. O Live Science publicou uma lista de coisas que só acontecem quando a temperatura fica realmente fria. Conheça a seguir alguns fenômenos bastantes curiosos relacionados ao frio:

1 – Geladinho?

Fonte da imagem: Reprodução/gurutotheoutdoors

Refrigerantes e bebidas alcoólicas ficam praticamente congelados, principalmente se você deixar algumas garrafas “de molho” na neve por algumas horas. A água geralmente congela a 0º C, mas a adição de outros ingredientes tanto no refrigerante quanto na bebida faz com que o ponto de congelamento diminua, deixando a bebida líquida em ambientes supergelados.

Ao abrir a garrafa você estará diminuindo a pressão existente no interior dela, liberando minúsculas bolhas de dióxido de carbono, o que acaba formando pequenas bolinhas de gelo, criando o aspecto que você vê na imagem acima. O mesmo pode ser feito com bebidas alcoólicas, mas lembre-se: quanto maior for o teor alcoólico, mais frio é preciso estar, afinal o álcool congela a -114º C.

2 – Transformar água em neve

Outra brincadeirinha bacana para quem vive em regiões de invernos intensos. Você sabia que água fervendo em um ambiente frio e com bastante vento produz neve? É lógico que é preciso estar atento a algumas técnicas e ter a possibilidade de medir as temperaturas do ambiente e da água. Os melhores resultados ocorrem quando a temperatura ambiente está na marca dos -34º C, dizem alguns pesquisadores.

A formação da neve acontece porque o ar gelado está superdenso, o que significa que suas moléculas estão agrupadas. Quando a água é jogada nesse ar, suas moléculas não têm para onde ir – é por isso que há uma precipitação de vapor, como você pode ver no vídeo abaixo:

3 – Terremotos de geada e de gelo

Fonte da imagem: Reprodução/Weather

Esse tipo de fenômeno ocorre geralmente quando a temperatura diminui demais em pouco tempo. O terremoto de geada nada mais é do que uma expansão do gelo no solo, seguida por uma quebra desse mesmo gelo, produzindo explosões sonoras bastante audíveis.

Esse tipo de terremoto raramente é localizado por monitores, mas ele chega a provocar tremores no solo. Um fenômeno similar, chamado terremoto de gelo, é capaz de quebrar o gelo de lagos e rios. Os dois fenômenos são comuns no Canadá e no Alaska.

4 – Sorvete de rã

Fonte da imagem: Reprodução/Cracked

Muitos animais não resistem ao frio intenso e acabam morrendo ou congelando, como é o caso de algumas rãs, que ficam completamente congeladas quando as temperaturas caem demais. O lado bom é que esses animais saltadores desenvolveram com o passar do tempo um mecanismo bastante eficiente que, nesses casos de congelamento, obriga o fígado a transformar glicogênio em glicose – o açúcar, por sua vez, é rapidamente liberada para a corrente sanguínea.

A glicose funciona inibindo o congelamento do sangue, mantendo o animal vivo em uma espécie de hibernação. As rãs conseguem viver assim durante semanas até o frio começar a diminuir de intensidade. Depois, seus coraçõezinhos voltam a bater e suas perninhas se esticam para que elas possam correr para o acasalamento. Então, se um dia você encontrar uma rã congelada, fique atento: é bem possível que ela esteja viva.

5 – Bolhas congeladas

Fonte da imagem: Reprodução/Buzzhunt

Esta dica pode transformar sua temporada na Rússia em um conto de fadas. Tudo o que você vai precisar fazer é assoprar as famosas bolhas de sabão para o alto, assim elas irão congelar. O ideal é que a temperatura máxima seja de -11ºC.

6 – Língua presa

Fonte da imagem: Reprodução/luskfamiludentistry

Tem muito espertinho por aí que testa os limites do frio encostando a língua em superfícies metálicas supergeladas. O problema dessa brincadeirinha é que a língua é quente e a superfície não. Quando há contato, o calor da língua é transmitido para a região fria e, como essa região é maior do que a língua, ela vai continuar roubando esse calor, fazendo com que você fique com a boca grudada.

Um caso recente nos EUA envolveu uma garota que teve a brilhante ideia de lamber uma haste metálica. Ela ficou presa e seus pais não conseguiram a retirar do local nem mesmo com a ajuda de água quente. A menina teve que ser socorrida por para-médicos e a previsão é a de que sua língua desinche daqui a seis meses. Fica a dica do que não fazer, hein!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.