(Fonte da imagem: Thinkstock)

Se você é daqueles que adoram ir para a cozinha e experimentar receitas novas, deve ter lido mais de uma vez a frase “pré-aqueça o forno a 180o e asse durante tantos minutos”. Entretanto, de acordo com o site Slate, além de ser linguisticamente ridículo pré-aquecer um forno — você o aquece e pronto! —, saber se a temperatura está certa é um pouco complicado, mesmo que o seu fogão venha com um termostato de precisão.

O problema é que, ao longo dos anos, vários tipos de marcadores de temperatura foram estabelecidos para os fornos — em graus; níveis alto, médio e baixo; numérico etc. — e nem sempre a temperatura real corresponde à que você esperava. Dessa forma, as receitas acabaram adotando um padrão aproximado, e é por isso que nem sempre o resultado sai como esperávamos.

Use os sentidos

Assim, saber quando algum alimento está pronto é muito mais uma arte do que uma ciência exata, e existem diversos métodos que podem ajudar a determinar se o forno está suficientemente aquecido ou não. Além de usar termômetros culinários, que costumam ser bem precisos, você pode utilizar tiras de papel e farinha (que ficam escurecidas com o calor) ou o velho truque do palito de dentes, que sai limpinho do bolo quando este está assado.

Mas melhor do que todos esses artifícios, o mais importante mesmo é aprender a usar os sentidos. Geralmente o cheiro de comida queimando é algo facilmente reconhecível, assim como o aspecto de algo que continua cru. Além disso, antes de determinar a temperatura do forno, pense em como você quer que o alimento seja tratado — com gentileza, firmeza ou força total — e então regule a temperatura com base nessa ideia. E fique de olho!

Fonte: Slate