Como usar os Pokémons para ensinar biologia às crianças
15.515
Compartilhamentos

Como usar os Pokémons para ensinar biologia às crianças

Último Vídeo

Se você não está no clima do novo jogo do momento e ainda não conseguiu ver as coisas boas que o aplicativo trouxe, vamos partir para uma nova perspectiva: que tal incentivar os pequenos a estudar biologia através dos personagens?

A vida é aquele eterno “nada se cria, tudo se copia”, e não poderia ser diferente com Pokémon. Várias criaturinhas são inspiradas em animais e até plantas reais e você pode aproveitar o assunto para estimular o estudo da biologia! 

1. Kabuto e o caranguejo-ferradura: salvando vidas

Kabuto e o caranguejo-ferradura

O Kabuto é um Pokémon fóssil com um grande escudo marrom cobrindo o corpo. Ele possui pequenos olhos vermelhos e pode ser encontrado em oceanos.

A inspiração veio desse diferente artrópode, que tem parentesco com aranhas e escorpiões. Você pode não conhecer o caranguejo-ferradura, mas a indústria da saúde já descobriu este estranho animal há algum tempo. Todos os anos, mais de 250 mil exemplares são retirados do seu habitat e levados até laboratórios para que aconteça a extração de sangue. 

O sangue deles é azul, devido à presença da hemocianina

Curiosamente, o sangue deles é azul, devido à presença da hemocianina, que é similar à nossa hemoglobina e faz o transporte do oxigênio através das células. Cientistas descobriram que um componente químico encontrado em seus amebócitos consegue detectar e isolar contaminações de bactérias. Assim, o sangue desses estranhos animais é usado para testar equipamentos médicos e vacinas; não é incrível? 

Curiosidade: 1 litro de sangue do caranguejo-ferradura chega a valer US$ 15 mil

Quando uma bactéria é encontrada, a substância coagula e se transforma em um tipo de gel. Assim, os cientistas sabem se o material poderá ser usado em humanos sem problema, o que evita muitas mortes por infecção.

Infelizmente, há um lado ruim nesta história: houve uma grande diminuição deste artrópode na América do Norte. Agora, as empresas responsáveis só podem pegar até 30% do sangue de cada animal e devolvê-lo para a natureza.

 2. Caterpie e a lagarta-cobra: enganando os inimigos 

Caterpie e a lagarta-cobra

Assim que alguém começa a jogar, um dos Pokémons que mais aparecem no jogo é o Caterpie, essa simpática larva verde. Ela pode parecer inofensiva e pouco útil para as batalhas, mas a sua evolução final resultará em uma bela Butterfree. 

Metapod e casulo da Papilio troilus

Na vida real, a Papilio troilus,também chamada de lagarta-cobra, é um inseto bem curioso: sabe essas estruturas que mais parecem olhos? São apenas uma camuflagem desenvolvida para assustar outros animais. À medida que a lagarta se desenvolve, ela perde essa característica e se transforma em uma borboleta de asas negras.

Butterfree e a forma final da lagarta-cobra

3. Poliwag e os girinos: você não vai gostar de saber

Poliwag e os girinos

Este pequeno e simpático Pokémon foi inspirado nos girinos. Sabe aquela espiral na barriga deles? É correspondente ao intestino desses animais, que, nessa fase, possuem o lado ventral transparente. 

4. Wooper e o axolote: fofura para todo lado

Wooper e o axolote

Esta criatura fofinha é a Ambystoma mexicanum,ou axolote, uma salamandra que conserva por toda a sua vida as brânquias externas. Estes animais têm uma grande capacidade de regeneração e, por isso, são muito usados em laboratórios.

O Pokémon Wooper é um anfíbio do tipo água, com brânquias em ambos os lados da cabeça. 

5. Magikarp e o Sebastes ruberrimus: muita calma nessa hora

Magikarp e o Sebastes ruberrimus

Pertencente ao gênero Sebastes, este peixe se caracteriza pelo crescimento lento; talvez por isso você precise de nada menos do que 400 candies para evoluir o Magikarp no Pokémon GO. 

6. Sandshrew e o pangolim-malaio: enrolar para se defender

Sandshrew e o pangolim-malaio

Assim como o animal que inspirou a sua criação, o Sandshrew é coberto de escamas e pode se enrolar durante uma disputa.

O Manis javanica, ou pangolim-malaio, é um mamífero nativo da Ásia, possui garras fortes – que ajudam a cavar buracos – e uma língua comprida como a de um tamanduá. É um animal solitário e de hábitos noturnos. Infelizmente, essa espécie está ameaçada de extinção devido ao comércio ilegal de sua carne: há quem acredite que suas escamas são afrodisíacas. 

7. Vileplume e a flor-monstro: um grande parasita 

Vileplume e a flor-monstro

Com quase 1 metro de diâmetro e chegando a pesar mais de 10 quilos, a Rafflesia arnoldii, ou flor-monstro, impressiona. Agindo como uma planta parasita, que retira nutrientes das raízes das árvores, esta espécie não faz fotossíntese e também se alimenta de insetos que ficam presos em uma substância pegajosa que ela produz.

Apesar da aparência similar, o Vileplume usa um pólen tóxico para paralisar os outros Pokémons durante as batalhas. 

8. Victreebel e a Nepenthes truncata: bela e perigosa - pelo menos para os ratos

Victreebel e a Nepenthes truncata

Última evolução do Bellsprout, o Victreebel tem esta grande folha que se estende por sua cabeça. Este Pokémon atrai a vítima e a engole.

Na vida real, a Nepenthes truncata é uma planta carnívora, mas bem menos perigosa. Ela costuma ser vista nas Filipinas e pode chegar a 4 metros de diâmetro. Em setembro de 2006, no Botanical Gardens em Lyon, na França, uma planta desta espécie foi encontrada com um cadáver de um rato em decomposição.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.