Drops Históricos #52: Sua dose semanal de História aqui no Mega
04
Compartilhamentos

Drops Históricos #52: Sua dose semanal de História aqui no Mega

Último Vídeo

É dia 25 e, a essa altura, as águas de março já fecharam o verão e a promessa de vida pode até estar no coração, como diria a canção do compositor Tom Jobim, mas, quando olhamos para a história, a semana que temos pela frente não tem nada de amistosa ou promissora.

Não que nada de bom tenha acontecido nessa época em todo o passado da humanidade, mas os sete dias que fecham o terceiro mês do ano têm uma vocação para tragédias, desastres naturais e conflitos sangrentos. Em 2019, a astrologia explica com a chegada à era de Áries, mas e nos anos, décadas e séculos anteriores? Podemos ainda estar bem longe do chamado mês do cachorro louco, mas a insanidade rola solta quando se tem incêndios, bombas, falhas em sistemas nucleares e muitos, muitos sismos.

25 de março

1911: incêndio na fábrica da Triangle Shirtwaist

Em 1911, quando uma fábrica de tecidos em Nova York pegou fogo, 146 pessoas morreram. A Triangle Shirtwaist ficava no 8º andar de um prédio de 10 pisos e, entre os trabalhadores e as pessoas que se encontravam no 9º andar, os bombeiros não conseguiram salvar quase ninguém. As escadas de emergência alcançaram apenas até o 6º andar e, desesperadas, as vítimas começaram a se jogar das janelas, com medo do fogo, e muitas acabaram morrendo pela queda.

O acidente foi inevitável e, anos depois, um pesquisador e autor chamado David Von Drehle finalmente descobriu o que causou o incêndio: "Caixas especialmente projetadas continham centenas de quilos de sucata de algodão e lenços de papel. Em uma dessas caixas, pouco antes de a campainha tocar, um fogo se acendeu. Em 15 minutos, o suprimento de combustível transformou a fábrica no que um capitão de bombeiros chamou de 'uma massa de fogo viajante'.".

Por 90 anos, esse permaneceu como o maior e mais impactante acidente de trabalho da história dos Estados Unidos.

26 de março

1812: sismo em Caracas

Pelo menos cinco zonas venezuelanas foram afetadas por um enorme sismo que atingiu o país no dia 26 de março de 1812, dizimando a capital Caracas. Não se sabe o número exato de mortes nesse evento, mas estima-se que entre 15 e 20 mil pessoas tenham perdido a vida em decorrência do terremoto. Na época, o sismo de Caracas foi encarado por muitos como "um castigo divino", já que as cidades mais afetadas foram justamente aquelas em que fervilhava o espírito da independência da Venezuela em relação à Espanha, que havia ocorrido um ano antes, em julho de 1811.

Para piorar, o país ainda sofreu um segundo tremor, que aconteceu no dia 4 de abril, apenas 2 semanas depois.

27 de março

1964: sismo no Alasca

Pois é, não faltaram tremores de terra nessa época do ano. Em 1964, foi a vez de o Alasca sofrer um abalo de estruturas em plena Sexta-feira Santa. Nesse caso, não se trata de qualquer sismo, mas do mais poderoso já registrado na história dos Estados Unidos, com magnitude de 9,2 na Escala Richter. Ele atingiu o centro-sul do Alasca, matando 125 pessoas e causando enormes prejuízos para a cidade de Anchorage.

28 de março

1979: uma quase-tragédia nuclear

Nessa data, uma considerável quantidade de gases radioativos e extremamente perigosos, como iodo-131, foi liberada no meio ambiente depois que uma bomba no sistema de arrefecimento do reator falhou e causou a evaporação de água contaminada, gerando um derretimento nuclear na usina de Three Mile Island, na Pensilvânia. Felizmente, nenhuma morte foi oficialmente relatada, mas o assunto foi tão sério que o então presidente, Jimmy Carter, foi ver de perto o que estava acontecendo — mas só no dia 1º de abril, mais de uma semana depois.

Na ocasião, foi declarado estado de emergência, e medições de ambientalistas mostraram que o nível de contaminação era, nos primeiros dias, oito vezes maior do que o considerado letal.

29 de março

1945: bombas voadoras são piores do que baratas voadoras…

… mas, felizmente, esse dia registrou o último dia de ataques sobre a Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial. As bombas Arma-V começaram a ser lançadas por Hitler em junho de 1944; seu nome vinha da palavra alemã vergeltungswaffe, que significa armas de vingança, já que eram uma espécie de último recurso do ditador nazista para tentar vencer a guerra. Ele continuou com essa estratégia por quase 1 ano, período em que cerca de 6 mil pessoas morreram em decorrência desse tipo de ataque.

Até hoje, eventualmente são descobertos resquícios das V1, como no ano passado, quando fragmentos foram encontrados em uma floresta britânica.

30 de março

1965: bombas sobre rodas

Foto: manhhai/ Flickr

Por falar em explosões e mortes por conta de guerras e conflitos armados, outro acontecimento importante dessa época do ano foi no Vietnã. Em 30 de março de 1965, um carro-bomba explodiu em frente à embaixada dos Estados Unidos em Saigon, matando 22 pessoas e ferindo 183, entre cidadãos vietnamitas e norte-americanos.

31 de março

1931: terremoto na Nicarágua

Um sismo com 5 km de profundidade destruiu a cidade de Manágua, na Nicarágua, no começo dos anos 1930, deixando mais de 1,2 mil pessoas mortas e 2 mil feridas. A capital federal, além da perda humana, enfrentou o grande prejuízo de 35 milhões de dólares; o terremoto deixou a região tão afetada que destruiu construções e causou um enorme incêndio.

Como outros sismos citados, o evento também aconteceu durante a Semana Santa da Igreja Católica, por isso é conhecido como "o sismo da Semana Santa".

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.