Fotossíntese artificial pode inovar produção de combustível
72
Compartilhamentos

Fotossíntese artificial pode inovar produção de combustível

Último Vídeo

Plantas transformam luz solar em energia diariamente e, de certa forma, cientistas do mundo todo sempre quiseram replicar esse fenômeno de maneira controlada, para o benefício da humanidade. Agora, o professor e diretor científico do Hub de Inovação em Energia do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, Nate Lewis, tenta criar um processo de fotossíntese artificial capaz de produzir combustível líquido para 40% da frota de veículos que não podem funcionar com eletricidade. E, para isso, algumas mudanças drásticas no conceito de fotossíntese terão de ser feitas.

Para começar, Lewis acha que as plantas possuem a cor errada. De acordo com o cientista, elas deveriam ser pretas, em vez de verde, já que isso aumentaria a absorção de luz solar. Por causa disso, as plantas operam a uma taxa de 10% do que poderiam. Obviamente, existe uma razão para isso: plantas fazem fotossíntese para manter seus próprios metabolismos e não para servir aos caprichos dos humanos.

Porém, em laboratório, Lewis acredita ser capaz de se inspirar na natureza para construir algo semelhante, mas com capacidade de ajudar a humanidade a solucionar problemas de energia. Uma das vantagens seria o fato de que esse combustível não contribuiria para o aquecimento global, já que não emitiria gases do efeito estufa. Como se não bastasse, o processo de produção desse combustível não exigiria terras para plantação, uso de fertilizante ou de grandes quantidades de água.

Desafios de implementação

Os painéis que serão criados por Lewis terão o tamanho de um caderno, com a possibilidade de serem posicionados lado a lado para aumentar a produção em nível industrial. Mas, antes disso, ainda será necessário trabalhar em diversas barreiras, como fazer com que esses painéis absorvam a luz da maneira correta. Por enquanto, eles são capazes de trabalhar bem com o espectro vermelho da luz, mas não com o espectro azul.

Além disso, há o processo de conversão. Não adianta apenas misturar luz com dióxido de carbono e água para que produzam metanol, butano ou gasolina. A fotossíntese natural usa catalisadores que ajudam a gerar o produto final, como açúcar para as plantas.

Na natureza, esses catalisadores podem ser elementos como o manganês, ferro ou níquel, mas em laboratório os humanos foram capazes de emular apenas parte do processo e apenas com componentes muito caros, como platina e irídio.

Sendo assim, enquanto a fotossíntese artificial não se tornar mais barata e eficaz, será impossível comercializá-la.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.