Infidelidade não é uma surpresa em termos de relacionamentos amorosos; o que ainda não fica muito claro, no entanto, é o que leva uma pessoa a ter um caso extraconjugal. Quando pensamos sobre esse tema, tendemos a acreditar que traições acontecem por momentos de bebedeira, insatisfação no relacionamento ou, quem sabe, uma vontade de terminar a atual relação.

O Ashley Madison, site de encontros extraconjugais, pediu que seus inscritos contassem por que acabam pulando a cerca. As respostas nos mostram que traição não é uma coisa de ímpeto, como podemos imaginar, mas algo que costuma ser planejado previamente.

Dos 1,3 mil homens que responderam a pergunta, 27% falaram que se aproximariam de alguém próximo, como uma colega de trabalho, se se sentissem insatisfeitos em seus atuais relacionamentos.

Eita!

beijo

Entre as mulheres, 15% afirmaram que alguém do ambiente de trabalho seria um possível alvo na hora de pular a cerca – 17% das entrevistadas admitem ter fantasias sexuais com o chefe.

Isso nos revela que, se a ideia é ter um relacionamento fora do casamento, é bem possível, tanto para homens quanto para mulheres, que a pessoa escolhida seja alguém que já faz parte da rotina de quem vai pular a cerca, especialmente alguém do ambiente de trabalho. De todos os homens entrevistados, 99% afirmaram que já traíram suas esposas.

Ainda que a busca de novas aventuras sexuais seja a principal razão das traições, muitos homens disseram que traíam para tentar salvar o casamento, e não para se divorciar.

Mais dados

boca fechada

Entre as mulheres, 39% admitiram que já traíram seus parceiros e 35% afirmaram que já cogitaram ter um caso extraconjugal. Para as mulheres, as razões de infidelidade são as mesmas do que as dos homens. E sabe aquela história de que mulheres traem em busca de conexões emocionais? Balela! Das entrevistadas, 43% afirmaram que seus casos eram puramente físicos e 5% afirmaram que traíram seus maridos com uma pessoa com melhor nível de escolaridade.

A pesquisa revelou também que as mulheres se sentem mais tentadas a trair depois que têm filhos – 54% delas afirmaram que começaram a pular a cerca depois da chegada do primeiro filho.