Indonésios que se recusam a usar máscaras têm que fazer flexões na rua

Indonésios que se recusam a usar máscaras têm que fazer flexões na rua

Último Vídeo

Enquanto aqui no Brasil, as pessoas discutem sobre se deveriam ou não usar máscaras durante a pandemia da covid-19, sendo mesmo encorajadas a não usá-las por algumas autoridades, na Indonésia, país com o maior número de mortos pela doença no sudeste da Ásia, quem não usa máscara está sujeito a uma série de punições e castigos físicos.

Pessoas que não seguem os regulamentos do coronavírus na Indonésia estão sujeitas às seguintes punições, consideradas “degradantes” por grupos de direitos humanos: flexões no meio da rua, limpeza das margens de rios, arrancar ervas daninhas, cavar sepulturas, e até mesmo ficar deitado dentro de um caixão em público.

Fonte: AP/Reprodução
Fonte: AP/Reprodução

Conforme o Centro de Recursos do Coronavírus da Universidade Johns Hopkins, a Indonésia tem quase 15 mil mortes confirmadas devido à covid-19, o número mais alto entre os países do sudeste asiático. Temendo resultados catastróficos, as autoridades do país estão implementando medidas bizarras para impedir que as pessoas violem as regulamentações, e deixando os ativistas de direitos humanos de cabelo em pé.

Quem é a favor e quem é contra as penalidades?

Fonte: AP/Reprodução
Fonte: AP/Reprodução

Em entrevista à rádio Voice of America Indonesia, Rivanlee Anandar, ativista da Comissão para Pessoas Desaparecidas e Vítimas da Violência, critica os militares que, segunda ela, “devem se concentrar na defesa nacional. Não há indicadores ou instrumentos para medir a eficácia do envolvimento dos militares no tratamento da pandemia”.

Em defesa das penalidades, Suyono, administrador do distrito de Crenme, justificou sua atitude de mandar pessoas cavarem sepulturas, dizendo que, na comunidade, há apenas três coveiros disponíveis, motivo pelo qual colocou os transgressores para ajudá-los. “Quem sabe, isso pode ter um efeito de convencimento”.

Fonte: Anton Raharjo/Getty Images/Reprodução)
Anti-máscaras trabalhando como coveiros (Fonte: Anton Raharjo/Getty Images/Reprodução)

Já o analista de políticas públicas da Indonésia, Agus Pambagio, defende que a melhor maneira de convencer as pessoas a usarem máscaras é impor uma multa de US$ 68, o equivalente a R$ 370. Ele diz que “se você quer que as pessoas tenham disciplina, não apenas ‘aconselhe’”.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.