Seja o primeiro a compartilhar

Tripulantes do navio encalhado no Canal de Suez podem ser presos

Os tripulantes indianos do navio que ficou encalhado no Canal de Suez durante seis dias, bloqueando uma das principais rotas marítimas do planeta, podem ser presos em meio à investigação para descobrir as causas do acidente no Egito. É o que revela um relatório ao qual o Times of India teve acesso, cujos detalhes foram divulgados na terça-feira (30).

Conforme a publicação, o governo indiano e as organizações de trabalhadores marítimos do país temem que os 25 tripulantes e o capitão do navio Ever Given sejam feitos de “bodes expiatórios” pela Autoridade do Canal de Suez (SCA). Dessa forma, eles levariam a culpa pelo encalhe da embarcação, que resultou em perdas comerciais em vários países.

Além da prisão domiciliar, a tripulação pode ainda ser proibida de participar de novas viagens internacionais até a conclusão do trabalho dos investigadores. E em último caso, eles estariam sujeitos a acusações criminais, de acordo com uma fonte ouvida pelo jornal.

A liberação do navio foi bastante comemorada. (Fonte: BBC/Reprodução)A liberação do navio foi bastante comemorada. (Fonte: BBC/Reprodução)

Os responsáveis pelo Ever Given não deram maiores detalhes a respeito da investigação nem divulgaram os nomes dos tripulantes. Eles disseram apenas que os trabalhadores estão seguros e permanecem com uma “boa saúde”, além de estarem colaborando com a SCA.

Investigações continuam

Os motivos que levaram o navio cargueiro gigante a encalhar no Canal de Suez estão sendo investigados desde ontem (31). De acordo com o presidente da SCA Osama Rabie, o erro humano aliado às condições climáticas ruins no dia do acidente estão entre as prováveis causas.

A apuração incluirá uma análise das ações tomadas pelo comandante da embarcação e das condições de navegabilidade no dia em que ocorreu o bloqueio da movimentada via marítima, entre outras coisas.

O acidente provocou grandes prejuízos no comércio marítimo mundial. (Fonte: The New York Times/Reprodução)O acidente provocou grandes prejuízos no comércio marítimo mundial. (Fonte: The New York Times/Reprodução)

Enquanto isso, algumas entidades indianas se manifestaram sobre o caso. O integrante do Conselho Nacional de Navegação Sanjay Prashar, por exemplo, pede uma investigação imparcial. Para ele, a análise do gravador de dados da viagem pode indicar com clareza o que causou o acidente.

Já o secretário-geral da União Nacional dos Marítimos da Índia (NSUI) Abdulgani Serang prometeu apoiar todos os tripulantes, auxiliando-os "no que for necessário".

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.