Seja o primeiro a compartilhar

O que é o Movimento Internacional da Cruz Vermelha?

Com aproximadamente 97 milhões de voluntários no mundo todo, o Movimento Internacional da Cruz Vermelha se fez presente em 192 países e celebrou 157 anos de história em 2020. Desde 1863, quando foi fundada em Genebra, na Suíça, a Cruz Vermelha ajudou milhões de pessoas e tornou-se uma das principais organizações que visam proteger a vida e a saúde humana.

Recentemente, o movimento voltou seus esforços no combate à pandemia de covid-19, trabalhando de forma voluntária para conscientizar a população e distribuir informações vitais para que a população se mantenha a salvo. No Brasil, Cruz Vermelha Brasileira já beneficiou mais de 100 mil pessoas em ações durante a crise humanitária.

A origem da Cruz Vermelha

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho surgiu para atender uma crescente carência enfrentada pelo mundo desde a segunda metade do século XIX: amenizar o sofrimento das populações que atravessavam conflitos armados e necessitavam assistência social.

O conceito foi estabelecido pelo filantropo suíço Jean-Henri Dunant, o qual havia notado que os soldados feridos não recebiam nenhum tipo de ajuda médica até aquele período e ficou indignado com as coisas que terminou presenciando durante a Segunda Guerra de Independência Italiana em 1859. 

Nascido em Genebra, em 8 de maio de 1828, Dunant era um empresário e filho de um casal de calvinistas com certa proeminência na Suíça. Esse foi um dos motivos para que ele tenha aprendido desde sua infância sobre a importância de tratar bem as pessoas e também sobre o significado dos atos de caridade.

Guerra na Itália

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Durante uma viagem de negócios para tratar assuntos importantes com Napoleão III em 1859, Dunant se deparou com o chocante cenário da Batalha de Solferino. Ocorrido no dia 24 de junho daquele ano, o conflito armado fez parte da Unificação da Itália e deixou milhares de soldados austríacos, italianos e franceses feridos.

Como os exércitos não contavam com qualquer suporte médico, muitos indivíduos morriam vítimas de suas feridas sem receber nenhum tratamento. Nesse momento, o empresário decidiu abrir mão dos seus negócios para formar um pequeno grupo de voluntários para ajudar os feridos.

Motivados pelos relatos de Dunant sobre o conflito, mais quatro cidadãos suíços decidiram se unir a causa para formarem um comitê para realizar os socorros dos soldados que se feriam em batalha. Eram eles: Gustave Moynier, Guillaume-Henri Dufour, Louis Appia e Theodore Maunoir.

Foi então que, entre os dias 26 e 29 de outubro de 1863, aconteceu a primeira reunião do Comitê dos Cinco, o que acabou resultando na fundação da Cruz Vermelha. No ano seguinte, o movimento já se organizada e convocada outras nações do mundo — incluindo o Brasil — para estabelecerem as primeiras determinações humanitárias da história.

Convenção de Genebra

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Por conta da iniciativa da Cruz Vermelha, diversos países espalhados pelo mundo se uniram para assinar o documento “Convenção de Genebra para a Melhoria das Condições dos Feridos das Forças Armadas em Campo”. Esse foi o primeiro tratado internacional que garantia a proteção dos médicos que trabalhavam de maneira neutra e voluntária dentro dos conflitos armados.

Em 1867, Jean-Henri Dunant teve que declarar a falência de seus negócios após passar tempo demais trabalhando para a Cruz Vermelha, o que fez com que ele saísse da organização. Mas os esforços não foram em vão. Décadas depois, em 1901, ele foi premiado com um Nobel da Paz. 

Divisão de trabalho

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Atualmente, a Cruz Vermelha trabalha em três frentes: o Comitê Internacional da Cruz Vermelha; a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho; e Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho. Cada uma delas tem objetivos distintos.

  • Comitê Internacional da Cruz Vermelha: conhecido por ser o segmento original, essa frente atua no atendimento médico de soldados feridos em conflitos armados e também fornece apoio às populações afetadas
  • Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho: criada em 1919, essa frente desenvolve a unificação da comunicação das operações da Cruz Vermelha pelo mundo. É também quem coordena as atividades.
  • Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho: funcionam como sedes da Cruz Vermelha formadas em cada um dos 191 países de atuação. Cada sociedade representa um país onde o movimento opera.

Apesar de a Cruz Vermelha ter surgido como uma organização que atende zonas de guerra, ela também atua em outras situações de emergência. Em áreas afetadas por desastres naturais, os voluntários do movimento trabalham para amenizar o sofrimento das pessoas.

Cruz Vermelha no Brasil

(Fonte: Renato Wrobel/Divulgação)(Fonte: Renato Wrobel/Divulgação)

A Cruz Vermelha chegou ao Brasil por iniciativa do médico Joaquim de Oliveira Botelho em 1907. Na época, ele foi responsável por convocar profissionais de várias áreas da sociedade para estabelecer as diretrizes da organização dentro do país em uma reunião de ordem única no Rio de Janeiro.

Além disso, o Brasil ainda passou a contar com a fundação das Damas da Cruz Vermelha Brasileira a partir de 1910, um grupo de mulheres que apresentaram como enfermeiras voluntárias para a organização. Atualmente, a Cruz Vermelha Brasileira continua operando com aval do Governo Federal e realiza operações visando amenizar o sofrimento dos que precisam. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.