Seja o primeiro a compartilhar

Dirigíveis: quantos ainda existem e como eles funcionam?

Atualmente, existem apenas 25 dirigíveis em todo o mundo e apenas metade ainda está em uso. Por isso, se você avistar algum no céu, sinta-se um sortudo. 

No Brasil, existe apenas um dirigível regulamentado para voar. O modelo utilizado pelo piloto Feodor Nenov permite um voo semelhante ao que o inventor brasileiro Santos Dumont fez nos céus da França em 1898.

Essa tecnologia foi um sucesso durante um tempo, mas logo depois o seu uso passou a perder destaque e, hoje em dia, o que já foi considerado um meio de transporte se tornou um item de museu. Mas o que aconteceu para que o dirigível fosse aposentado? 

A história dos dirigíveis

Os dirigíveis são aeronaves mais leves que o ar que operam a partir de um gás de elevação menos denso que o ar circundante, como hélio ou hidrogênio, mantendo-os no ar. Existem três tipos de dirigível e o tipo não rígido é o que as pessoas comumente chamam de dirigíveis. O primeiro dirigível foi criado em 1852 e seu declínio ocorreu em 1937.

Em 24 de setembro de 1852 em Paris, ocorreu o primeiro voo de um balão dirigível. O criador foi Jules Henri Giffard e fez essa demonstração voando de Paris para Élancourt. (Fonte: Pixabay/Reprodução)Em 24 de setembro de 1852 em Paris, ocorreu o primeiro voo de um balão dirigível. O criador foi Jules Henri Giffard e fez essa demonstração voando de Paris para Élancourt. (Fonte: Pixabay/Reprodução)

Durante esse período, eles eram utilizados como meio de transporte para passageiros pagantes, também foram utilizados durante a Segunda Guerra Mundial para vigilância e mais recentemente eram utilizados para publicidade.

Por que não existem mais dirigíveis no céu?

Em 1937, os dirigíveis já estavam obsoletos por causa da tecnologia dos aviões e helicópteros, e da popularização destes como meio de transporte. Assim, manter os dirigíveis funcionando não era viável economicamente. 

Para se ter uma ideia o maior dirigível de todos, Hindenburg, precisava de 60 tripulantes para atender 72 passageiros, tinha 245 metros de comprimento e atingia a velocidade máxima de 135 km/h. O declínio do uso dos dirigíveis ocorreu com uma série de acidentes, e o ápice foi  quando este dirigível alemão pegou fogo ao pousar em Nova Jersey, matando 35 pessoas.

Em 1925, a Goodyear Tire & Rubber Company começou a construir dirigíveis para fins publicitários. (Fonte: Pixabay/Reprodução)Em 1925, a Goodyear Tire & Rubber Company começou a construir dirigíveis para fins publicitários. (Fonte: Pixabay/Reprodução)

Além dos riscos do transporte e a vagarosidade, o custo para construir um modelo e mantê-lo no ar é muito grande. Os dirigíveis precisam de uma grande quantidade de hélio, que pode custar US$ 100 mil por viagem. 

Outro ponto é que poucas pessoas são capazes de operar um dirigível. Nos Estados Unidos, por exemplo, existem apenas 128 pessoas aptas a pilotar esse tipo de aeronave. Por fim, atualmente, os drones já conseguem tirar fotos e captar imagens de cima, que eram feitas pelos dirigíveis no passado.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER