Como novos esportes entram para as Olimpíadas?

As Olimpíadas de Tóquio 2020 já acabaram, mas trouxeram algumas novidades interessantes para os amantes do esporte. Nessa nova edição dos Jogos Olímpicos, três novos esportes passaram a fazer parte do calendário de modalidades do evento: caratê, surfe e skate — os dois últimos tendo três brasileiros como medalhistas.

Desde a 1ª edição das Olimpíadas modernas em 1896, em Atenas (Grécia), muita coisa mudou no quesito modalidades disputadas. Para se ter ideia, apenas de 1980 para cá foram mais de 100 novos eventos adicionados à disputa. Mas quem decide quais são os esportes que farão parte dos Jogos Olímpicos e como esse processo ocorre? Entenda isso a seguir.

Reconhecimento internacional

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Para se ter uma dimensão de como a proporção das Olimpíadas escalou incrivelmente, basta olhar para o número de atletas presentes. Enquanto em 1896 apenas 241 competidores viajaram à Grécia para a disputa do evento, hoje são mais de 10 mil pessoas representando suas respectivas nações.

Os fãs, logicamente, almejam sempre ver seus esportes favoritos serem representados com a bandeira de seus países, porém esse processo não é tão simples assim. Antes que os entusiastas possam acompanhar uma nova modalidade no estádio ou na televisão, existe um processo criado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) para reconhecer uma modalidade como esporte olímpico.

O COI exige que determinada atividade seja administrada por pelo menos uma entidade internacional não governamental que monitore ao menos um esporte. Depois desse esporte ser reconhecido, ele ganhará o status de uma Federação Esportiva Internacional. Nesse ponto, a modalidade precisará aplicar todas as medidas de antidoping determinadas pelo COI — incluindo a remoção de atletas pelo uso de substâncias ilícitas.

Processo de aprovação

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

Uma grande pegadinha nesse processo é que um esporte pode ganhar o reconhecimento olímpico e ao mesmo tempo não participar das Olimpíadas, como é o caso do xadrez e do boliche. Para virar parte dos Jogos Olímpicos, a Federação Esportiva deverá criar uma petição declarando elegibilidade para participar do evento internacional.

Então, o COI avaliará a possibilidade de entrada dessa categoria como uma das três vertentes: um esporte, uma disciplina (ou ramificação de outro esporte) ou um evento, que seria como uma prova de competição dentro de uma disciplina.

As regras de aceitação variam um pouco dependendo do tema, mas o intuito acaba sendo o mesmo. Em geral, o COI exige que, para um esporte ser aceito, ele deve ser praticado por pelo menos 75 países em 4 continentes para os homens, e pelo menos 40 países em 3 continentes para as mulheres. Recentemente, o Comitê Olímpico tem trabalhado para aumentar a inclusão de novas modalidades e ao mesmo tempo descontinuar a prática de outras mais ultrapassadas. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.