Mais 5 classes de guerreiros de elite que já existiram na História
698
Compartilhamentos

Mais 5 classes de guerreiros de elite que já existiram na História

Último Vídeo

Se você gosta de História e tem especial interesse em batalhas sangrentas e guerreiros de elite, aqui no Mega Curioso você tem a oportunidade de conferir várias matérias sobre esses temas. Aliás, já publicamos artigos a respeito de cavaleiros medievais, samurais e ninjas célebres, e como o que não faltam por aí são soldados interessantes dos quais falar, decidimos reunir outras cinco classes de combatentes na lista a seguir. Confira:

1 – Legionários romanos

Sem dúvida nenhuma, os antigos romanos estão entre os guerreiros mais célebres da História, e uma de suas características era a falta de preconceito na hora de incorporar equipamentos e formações que viam em suas campanhas e que consideravam eficientes. As legiões consistiam nas divisões básicas do exército romano e eram compostas por, em média, 5 mil soldados — armados, bem preparados e extremamente disciplinados.

Esses guerreiros de infantaria eram treinados para manusear armas defensivas e ofensivas, e entre os equipamentos que carregavam estavam o gládio — uma espada curta de dois gumes —, o pilo (um dardo de madeira com ponta de ferro), a hasta (uma lança feita de madeira ou ferro), escudo, a lorica (uma couraça de couro e metal), assim como a gálea e a casse, que eram um capacete e um elmo, respectivamente.

A maioria dos soldados era proveniente das classes mais pobres, enquanto os oficiais normalmente eram patrícios que, além de custear as próprias armas e armaduras, eram responsáveis por manter os próprios cavalos. E os legionários só podiam se aposentar depois de, no mínimo, 25 anos de serviço, e quando isso ocorria, eles recebiam de Roma uma pequena pensão e um pedaço de terra em uma das províncias.

2 – Mongóis

Com a missão de conquistar, dominar e destruir tudo o que encontrassem pelo caminho, não é a toa que os mongóis chegaram tão longe e foram tão temidos no passado — estabelecendo o maior império que o mundo já vira durante o século 13. Esses disciplinados guerreiros eram arqueiros incrivelmente hábeis que disparavam contra os inimigos ainda montados sobre seus cavalos.

Os guerreiros mongóis, portanto, iam para as guerras equipados com vários tipos de flechas — incluindo uma capaz de produzir sons uivantes quando lançadas para desorientar seus oponentes —, e suas armaduras consistiam em várias camadas de couro endurecido revestidas com chapas de aço.

3 – Espartanos

O ingresso na vida militar começava bem cedo para os espartanos, que eram tirados de casa por volta dos 6 anos de idade para serem treinados. Aos 12 anos os exercícios se intensificavam dramaticamente, e o objetivo era criar um exército sempre pronto para a guerra. Portanto, não é de se estranhar que o exército espartano fosse considerado como o mais forte de sua época, composto por guerreiros eficientes dispostos a lutar até a morte.

Tanto as armaduras como as armas utilizadas pelos espartanos mudaram bastante longo da História, mas o uniforme mais conhecido é aquele que vimos no filme “300”, baseado na Batalha das Termópilas. Mas, basicamente, os soldados contavam com um peitoral de metal para proteger o torso, grevas sobre as canelas, couraça de bronze, o hóplon (ou escudo) e capacete. Com respeito às armas, as mais usuais eram as espadas curtas e as Dory — que eram longas lanças com ponta de metal.

4 – Vikings

Tremendamente temidos por toda a Europa, os vikings eram conhecidos pela brutalidade de seus ataques e por lutarem empunhando machados de guerra. Aliás, imagine os povos que tinham a infelicidade de cruzar com esses guerreiros sentiam ao ver embarcações com cabeças de dragão e velas vermelhas se aproximando da costa repletas de guerreiros armados e sedentos por sangue. Medo é pouco!

Ao contrário do que muita gente pensa, os vikings não usavam capacetes com chifres, e sim artefatos feitos de couro, metal ou uma combinação dos dois materiais. Esses guerreiros não costumavam vestir armaduras, preferindo túnicas com algum revestimento em couro ou casacos quando fazia muito frio, contanto que nada disso limitasse seus movimentos.

Além dos machados de guerra, os vikings também carregavam belas espadas, lanças e facas, assim como escudos (circulares ou, com menos frequência, triangulares), mas sua “arma secreta” eram os Berserkers. Esse era o nome que recebiam os guerreiros vikings mais temíveis de todos, famosos pelo comportamento enlouquecido que apresentavam antes das batalhas — provavelmente provocado pelo consumo de ervas com efeito tóxico.

5 – Guerreiros egípcios

Conhecidos como os “Bravos do Rei”, os guerreiros egípcios aos quais nos referimos atuaram durante o Império Novo — entre 1550 a.C. a 1070 a.C. —, e compunham um exército formado em sua maioria por prisioneiros de guerra que, depois de capturados, recebiam treinamento para desenvolver habilidades de batalha, e por civis de classes mais abastadas.

Dentre os guerreiros, existiam grupos com diferentes especialidades — como os que lideravam as batalhas e os que cuidavam da segurança pessoal do faraó, por exemplo —, e a estrutura do exército se dividia entre os mesha (ouinfantaria), os Medjay (ou tropas auxiliares da Núbia), a marinha e os sennyw (ou soldados que conduziam os carros de guerra).

Com respeito às armas, os guerreiros egípcios costumavam ir para as batalhas armados com arco e flecha, lanças, machados de guerra, clavas e atiradeiras, e muitos não contavam com armaduras adequadas ou até mesmo escudos para sua proteção.

*Publicado em 29/10/2014

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.