Carroll A. Deering: naufrágio nas Bermudas segue sem solução

Em 1921, a história do navio Carroll A. Deering teve um triste encerramento em meio às águas do Triângulo das Bermudas, quando seu naufrágio e o consequente desaparecimento dos 11 tripulantes a bordo foram registrados pelas autoridades. O caso, que permanece sem solução após quase 100 anos, continua intrigando muitos estudiosos, que tentam compreender o que realmente aconteceu por trás de tantos fatos estranhos.

Na época, o cargueiro Carroll A. Deering era uma das mais completas embarcações já fabricadas, ostentando suas 1.879 toneladas, cinco mastros, estrutura interna luxuosa e capacidade de converter calor a vapor em eletricidade. Sob a responsabilidade do veterano Willis B. Wormell (66) — que substituiu o oficial William "Hungry Bill" Merritt por problemas de saúde — e de dez marinheiros, o navio pôde finalmente começar sua jornada para o Brasil.

(Fonte: National Park Service / Reprodução)(Fonte: National Park Service / Reprodução)

A parada final do cargueiro em terra firme seria no Continental Café, em Barbados, já no caminho de volta para a América do Norte. Segundo fontes do estabelecimento, a tripulação do navio chegou a discutir sobre um suposto motim, aflorada pelas desavenças entre o capital e o Charles B. McLellan, que viviam em pé de guerra. Após uma série de brigas motivadas por embriaguez, a equipe da embarcação deixou o país e voltou para dar continuidade a seu caminho para os Estados Unidos.

(Fonte: Wikimedia Commons / Reprodução)(Fonte: Wikimedia Commons / Reprodução)

O Carroll A. Deering foi visto pela última vez pelo mestre da luz Thomas Jacobson, que escutou, através de um homem não identificado, que o navio havia perdido suas âncoras e correntes, sendo necessário o contato imediato com o proprietário. Infelizmente, Jacobson não conseguiu alertar a tempo o capitão do navio, e era questão de tempo para a tragédia acontecer.

O mistério do Carroll A. Deering

Em 31 de janeiro de 1921, a Guarda Costeira observou um navio ao longe em estado de abandono. Após a tempestade passar, uma patrulha foi enviada ao local, somente para descobrir que se tratava do Carroll A. Deering, mas sem qualquer tipo de vida em suas instalações. De acordo com os investigadores, todos os pertences pessoais haviam desaparecido, além de equipamentos de nado do cargueiro.

O naufrágio chamou a atenção de inúmeras autoridades, incluindo FBI, Marinha e Departamentos do Tesouro, Comércio e Justiça, mas nenhum conseguiu chegar a uma conclusão concreta sobre o que de fato havia acontecido. Na época, acreditava-se que o navio foi atacado por piratas comunistas, que saqueavam embarcações norte-americanas a fim de transportá-las para a Rússia, mas a informação se tornou improcedente.

(Fonte: Wikimedia Commons / Reprodução)(Fonte: Wikimedia Commons / Reprodução)

Outros curiosos tentaram justificar o encalhe do navio como resultado de lendas sobre as perigosas águas do Triângulo das Bermudas, conhecidas por terem carregado dezenas de outros barcos no passado, mas nada conseguiu sustentar esta teoria, visto não haver sinais de destroços ou de turbulências no Carroll A. Deering.

Após um século de mistério, a história do "navio fantasma" a vapor ficou para trás, assim como tudo que desapareceu consigo, incluindo os 11 marinheiros. E certamente é uma história que terminará assim: sem resolução.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.