Todos já ouvimos milhares de vezes que o corpo humano é uma máquina perfeita, não é mesmo? Mas você já parou para pensar em como ele também pode ser... nojentinho? O vídeo acima, produzido por Aaron Rogers, traz os números de alguns processos biológicos necessários para que o corpo humano funcione. O vídeo não conta com legendas em português, mas não se preocupe: todos os dados foram traduzidos e você pode conferir abaixo:

Assim, você sabia, por exemplo, que produzimos saliva suficiente durante nossas vidas para encher 20 banheiras? Que a remela — eca! — é uma mistura de pó, células epiteliais, sanguíneas e outras substâncias excretadas pelo nosso corpo? Que 6 anos e 9 meses de puns constantes são suficientes para gerar uma quantidade de energia equivalente à de uma bomba nuclear?

Além disso, a parte mais sujinha do nosso corpo é a boca, e não necessariamente por conta do vocabulário! Afinal, mais de 700 tipos diferentes de bactérias podem ser encontrados vivendo alegremente na cavidade bucal. Mas as peculiaridades desagradáveis relacionadas ao nosso corpo não param por aí:

  • As unhas que crescem mais depressa são as do nosso — infame — dedo do meio, podendo crescer até 36 centímetros por ano se não forem aparadas;
  • A urina é mais limpa do que a pele do rosto ou a saliva, não contando com quase nenhuma bactéria em sua composição;
  • Um espirro superpoderoso é capaz de quebrar costelas, mas tentar evitar que um deles ocorra pode fazer com que vasos sanguíneos presentes no cérebro ou no pescoço se rompam e causem a morte;
  • Apenas 10% das células do nosso corpo são humanas, e todo o resto — nada menos que 90 trilhões de microrganismos! — é formado pelas bactérias que vivem dentro de nós e nos cobrem dos pés à cabeça.