Próxima parada: República Tcheca — onde o leste e o oeste europeu se reúnem
141
Compartilhamentos

Próxima parada: República Tcheca — onde o leste e o oeste europeu se reúnem

Último Vídeo

Rodeada pela Alemanha, Áustria, Polônia e Eslováquia, a República Tcheca como país só foi surgir oficialmente mesmo em 1993. Contudo, não se deixe enganar pela data recente não, pois seu passado está fortemente conectado com a longa história da Europa — e marcado pelo despertar cultural e econômico, seguido por um profundo declínio, guerras amargas e revoluções.

Atualmente — apesar de todas as “cicatrizes” deixadas pelo tempo e pela História — a República Tcheca voltou a florescer e oferece enorme variedade arquitetônica e paisagens incríveis, incluindo florestas que se esparramam pela região da Boêmia, vilarejos encantadores que parecem saídos de contos de fadas e magníficas cidades históricas.

Pincelada histórica

Como você sabe, a República Tcheca fazia parte da então Tchecoslováquia que, em 1948, se tornou um estado controlado pelo regime comunista. Devido a tensões resultantes da insatisfação com o comunismo, tropas de países vizinhos invadiram o país em 1968, onde permaneceram até 1989, quando o regime entrou em colapso. A dissolução da Tchecoslováquia — em República Tcheca e Eslováquia — ocorreu em janeiro de 1993.

No entanto, apesar do passado comunista, de lá para cá — ou seja, em cerca de duas décadas — o país conseguiu a proeza de repaginar suas cidades e impulsionar o crescimento econômico, além de promover o renascer da cultura e da vida artística, tornando-se uma das nações mais vibrantes da Europa.

Com isso, a República Tcheca se transformou em um destino obrigatório para quem vai ao Velho Continente, e Praga, sem dúvida, é o ponto alto da visita, com seus belíssimos palácios barrocos, catedrais góticas, jardins renascentistas, edifícios romanescos e, como não, estruturas de arquitetura moderna inspirada no cubismo e funcionalismo.

Pequena joia

A República Tcheca conta com uma área territorial de pouco menos de 79 mil quilômetros quadrados — o que não é muito quando consideramos que o Estado de Pernambuco inteiro, por exemplo, tem pouco mais de 98 mil quilômetros quadrados. O país conta com uma população total de pouco mais de 10,6 milhões de habitantes, dos quais 95,4% falam tcheco, 1,6% fala esloveno e os 3% restantes se comunicam outros idiomas.

A capital do país é Praga — ou Praha, como é chamada localmente — e, historicamente, ela também foi a capital do Sacro Império Romano-Germânico, foi uma importante cidade do Império Austro-Húngaro e a capital da então Tchecoslováquia. Atualmente Praga é uma das localidades mais visitadas da Europa e, em 2011, por exemplo, foi a sexta capital mais visitada da Europa.

Sendo assim, o turismo é extremamente importante para a economia do país e aproximadamente 1% da população se dedica a atividades relacionadas com essa área. Então, que tal conferir quais são suas principais atrações?

Passeando pela História

Antes do colapso do regime comunista, eram poucos os turistas que se aventuravam além das belas ruas da capital tcheca. Entretanto, o país oferece inúmeras atrações que merecem uma visita, como é o caso da encantadora Ceský Krumlov que, com seu centro histórico bem preservado, é considerada uma das cidades mais belas da Europa. Além dela, para quem curte a arquitetura gótica, Kutná Hora, com suas imponentes catedrais, são uma bela pedida. Veja:

Outra cidadezinha que vale a pena visitar é a pequena Telc — com seus edifícios que parecem saídos de um conto de fadas — e, para ver jardins ornamentais deslumbrantes, não deixe de dar uma passadinha por Kromeríž, assim como pelos Châteaux Lednice e Valtice, que formam um complexo conhecido como “Jardim da Europa” localizado na fronteira entre a Morávia e a Áustria. Confira uma pequena amostra no vídeo a seguir:

Veja alguma fotos também:

Além desses locais, outros pontos de interesse são os pitorescos vilarejos de Zelená hora — com sua singular igreja de São João Nepomuceno — e Holašovice, assim como o Gueto de Trebíc, que é o único monumento judeu a ser incluído na lista de patrimônios da humanidade da UNESCO que se encontra fora de Israel. Veja algumas imagens desses locais na galeria abaixo:

E para quem curte paisagens naturais, a República Tcheca conta com diversas reservas ecológicas e parques naturais, como o impressionante Bohemian Switzerland National Park. Já para os mais aventureiros, o país oferece várias opções para fazer trilhas (especialmente pelas montanhas KrkonošeŠumava e Jeseníky) e escaladas (Rochas Adršpach). Olha só:

A cereja do bolo

Com todas as atrações que Praga concentra, a capital tcheca sem dúvida pode ser considerada como a “cereja do bolo” da visita pelo país. Sua era dourada ocorreu no século 14, quando a cidade era uma das maiores da Europa e considerada como uma das mais culturais do continente. Foi nessa época que construíram a Catedral de São Vito, a Charles Bridge e fundaram a Universidade Charles — a primeira no centro europeu —, isso em 1348.

Charles Bridge

Começando pela Staré Mesto, ou Cidade Antiga, os visitantes vão se deparar com um emaranhado de ruelas que vão dar na Staromestské námestí, a principal praça da cidade desde o século 10, dominada pela Igreja de Nossa Senhora de Týn. A Staromestsk (para os íntimos) serviu de local para o mercado de rua de Praga até o início do século 20, e hoje é palco de concertos ao ar livre, shows, desfiles e até reuniões políticas.

Staromestské námestí

É também na Staromestsk que os turistas encontrarão o Staromestský orloj, o famoso relógio astronômico medieval montado em uma das paredes da prefeitura. Não longe da praça, encontra-se o Josefov — o antigo gueto judeu —, local repleto de memórias sombrias da guerra, como a Sinagoga Pinkas, cujas paredes trazem os nomes de 80 mil vítimas tchecas do holocausto.

Staromestský orloj

Mas o Josefov também guarda algumas preciosidades, como a Staronová synagoga — a sinagoga mais antiga da Europa — e a deslumbrante Španelská synagoga (ou Sinagoga Espanhola). Já do outro lado do Rio Vltava, que divide Praga e corre em direção à Alemanha, encontra-se a Nové Mesto (ou Cidade Nova), e lá, a colina de Hradcany, onde se situa o Pražský hrad (ou Castelo de Praga) e a Catedral de São Vito, que guarda as antigas joias da coroa tcheca.

Essa região da cidade oferece aos turistas vistas deslumbrantes de Praga e da Karluv most — a famosa “Charles Bridge” (ou Ponte Carlos). Essa estrutura incrível liga a cidade antiga ao distrito de Malá Strana, e foi construída pelo rei Carlos IV no início de 1357. Ela levou 45 anos para ser concluída e dizem que argamassa contém cascas de ovos para tornar a mistura mais resistente. A circulação de veículos foi proibida em 1974, e só é permitida em raras ocasiões.

Matando a fome e a sede

A culinária tcheca é bem semelhante à de outros países do centro e leste europeu. Sendo assim, os pratos normalmente incluem carne de porco ou bovina assada ou, ainda, coelho, faisão ou pato assado, acompanhados de repolho cozido, panquecas de batata e bolinhos de massa cozidos. Em outras palavras, as refeições costumam ser pra lá de calóricas.

Já os pratos feitos com peixe na receita são bem raros, exceto no Natal, quando tipicamente a carpa é servida. De modo geral, as refeições frequentemente são acompanhadas com vinho de mel (ou mead) ou pela bebida de preferência nacional: a cerveja!

Os tchecos vêm produzindo essa bebida desde o ano de 1118, e foram os responsáveis pela criação da variedade Pilsner — com baixo teor alcóolico e sabor levemente adocicado — que vem sendo produzida na cidade de Plzen desde o século 13. Portanto, se você é um cervejeiro incorrigível, o passeio pelo país será especialmente interessante.

Mais curiosidades:

  • Na República Tcheca a cerveja é mais barata do que Coca-Cola, portanto, não é de se estranhar que os tchecos sejam os maiores consumidores de cerveja do mundo;
  • A moeda oficial do país é a koruna e, em tcheco, o nome do país é Ceska Republika;
  • Apesar de Praga contar com uma verdadeira coleção de monumentos da Idade Média, existe um curioso edifício na cidade que “briga” com a arquitetura local, mas que se tornou atração turística. Batizado de Tancící dum — e apelidado de Ginger e Fred —, o prédio foi assinado pelos arquitetos Vlado Milunic e Frank Gehry, e você pode conferir sua foto abaixo:

  • Durante 60% do ano, os dias no país são nublados — o que significa que os tchecos curtem, em média, apenas 146 dias de sol anualmente;
  • A Chram stave Barbory — ou Catedral de Santa Bárbara —, localizada em Kutna Hora, é uma das igrejas góticas mais magníficas da Europa e faz parte da lista UNESCO de patrimônios da humanidade. Sua construção foi iniciada em 1388, e a catedral só foi considerada como finalizada em 1905!
  • O Ossuário de Sedlec, sobre o qual já falamos aqui no Mega Curioso, se encontra na República Tcheca;

  • O castelo de Praga — além de ser uma das principais atrações da cidade — figura no Guinnes Book como o maior castelo antigo do mundo, somando uma área de mais de 7 hectares;

Detalhe do interior da Sinagoga Pinkas

  • Sigmund Freud (o pai da psicanálise), Gregor Mendel (que desenvolveu as primeiras teorias sobre hereditariedade), Jan Janský (o primeiro a classificar o sangue em quatro tipos), os compositores Bedrich Smetana e Antonín Dvorák, Václav Prokop Diviš (inventor do para-raios), Johannes Kepler (astrônomo), Franz Kafka (escritor), os tenistas Martina Navratilova e Ivan Lendl (que conquistaram 18 e 8 Grand Slams, respectivamente) são alguns dos tchecos famosos;
  • Castelo de Ceský Krumlov (foto abaixo), construído em 1240, próximo ao rio Vltava. Esse edifício também está listado como patrimônio da humanidade da UNESCO e é uma das principais atrações do país.
Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.