4 histórias trágicas envolvendo a morte de gêmeos siameses
1.136
Compartilhamentos

4 histórias trágicas envolvendo a morte de gêmeos siameses

Último Vídeo

Os gêmeos siameses, como você sabe, são aqueles que nascem unidos por alguma parte do corpo. O que você talvez não saiba é que os nascimentos desses irmãos são bastante incomuns, ocorrendo na proporção de um em cada 200 mil nascimentos. Além disso, é mais raro ainda que os gêmeos siameses sobrevivam, uma vez 50% não chegam nem a nascer e o índice de sobrevivência dos que vêm ao mundo oscila entre 5% e 25%.

Conectados

O tipo mais comum de siameses é aquele no qual os irmãos nascem conectados pela região do esterno — o osso que fica na parte dianteira do tórax — ou próximo a ela, representando entre 73% e 75% dos casos. Esses gêmeos costumam nascer cada um com seus órgãos, geralmente compartilhando apenas o fígado.

Radiografia gêmeos siameses (Wikimedia Commons/Mae M. Bookmiller)

O segundo tipo mais comum é o de siameses que nascem ligados pelas costas, normalmente na altura da pelve, representando entre 18% e 19%, e esses irmãos costumam compartilhar o reto. O terceiro tipo, que corresponde a cerca de 6% dos casos, é aquele em que os gêmeos nascem conectados pela pelve, contando com corpos separados da cintura para cima, e o tipo mais raro, que corresponde a algo em torno de 1% a 2%, é o dos irmãos legados pelo crânio.

O problema é que, apesar de a medicina ter avançado muito nas últimas décadas, nem sempre é possível separar os irmãos, uma vez que tudo depende de quais órgãos eles compartilham. Mesmo quando as cirurgias são viáveis, os procedimentos são sempre supercomplexos e envolvem muito planejamento e a participação de equipes médicas multidisciplinares — e nem sempre os gêmeos sobrevivem.

E o que ocorre quando um dos irmãos adoece e morre? Como o processo de decomposição é iniciado assim que um indivíduo falece, mesmo no caso dos siameses que podem ser separados por cirurgia, dificilmente há tempo suficiente para submeter o sobrevivente a qualquer procedimento, portanto, a morte sela o destino do outro. Confira a seguir 4 histórias trágicas envolvendo gêmeos siameses:

1 – Chang e Eng Bunker

Essa dupla de irmãos, nascidos no início do século 19 em Siam — antigo nome da Tailândia —, é a razão de os gêmeos siameses serem chamados dessa forma. Eles nasceram ligados pelo esterno e fizeram bastante sucesso se apresentando diante de plateias de todo o mundo. Os irmãos estabeleceram residência na Carolina do Norte e se casaram com um par de irmãs, com quem tiveram um total de 22 filhos.

Chang e Eng Bunker(Wikimedia Commons/Domínio Público)

Então, em 1874, Eng acordou uma manhã e descobriu que seu gêmeo, Chang, havia falecido durante o sono — possivelmente por causa de uma trombose. Infelizmente, não havia nada que pudesse ser feito na época e Eng acabou morrendo três horas depois do irmão, de edema pulmonar e parada cardiorrespiratória.

2 – Violet e Daisy Hilton

Nascidas na Inglaterra no comecinho do século 20, Violet e Daisy nasceram unidas pela pelve e foram vendidas pela mãe quando ainda eram pequenas. Não demorou até as meninas começarem a viajar para se apresentar em shows de variedades e, em 1961, elas acabaram chegando aos EUA.

Violet e Daisy Hilton(Wimp.com)

Uma vez na terra do Tio Sam, as gêmeas decidiram abandonar a vida itinerante e arranjaram um emprego em um supermercado — onde trabalharam durante oito anos. Então, as irmãs começaram a faltar ao trabalho... Seu chefe alertou a polícia depois de alguns dias, e os oficiais encontraram Violet e Daisy mortas em sua casa. A necropsia revelou que as duas morreram em consequência de uma gripe, mas Daisy teria falecido cerca de dois dias antes de Violet.

3 – Lucio e Simplício Godina

Lucio e Simplício nasceram nas Filipinas em 1908, unidos pelas costas na altura da pelve, e como os demais gêmeos da lista, eram exibidos em shows de aberrações. Isso até um filipino cheio da grana chamado Teodoro Yangeo ficar sabendo dos meninos e adotar a dupla. Sob a tutela do pai adotivo, os irmãos foram criados em um lar amoroso, estimulados a estudar e inclusive acabaram se casando com duas gêmeas idênticas.

Lucio e Simplício Godina(Wikimedia Commons/Stevechasmar)

No entanto, em novembro de 1936, Lucio acabou falecendo em decorrência de uma febre reumática e os médicos chegaram a realizar uma cirurgia para remover o corpo sem vida dele para salvar Simplício. Infelizmente, doze dias mais tarde, o irmão sobrevivente faleceu devido a uma meningite.

4 – Dasha e Masha Krivoshlyapova

As gêmeas Dasha e Masha nasceram em Moscou, na Rússia, em 1950, e foram tiradas de sua mãe e levadas ao Instituto de Medicina para serem estudadas de perto por toda classe de cientista. Então, ao longo de seis anos, as meninas foram examinadas, passaram por toda classe de testes e inclusive por experimentos no qual apenas uma das meninas era submetida a estímulos de dor para que os pesquisadores pudessem ver como a outra reagiria. Sim, caro leitor, um horror!

Dasha e Masha Krivoshlyapova(MacLean’s)

Assim, não é de se estranhar que as gêmeas tivessem problemas. Dasha acabou se tornando uma jovem tímida e introvertida, enquanto Masha era mais agressiva e abusava psicologicamente da irmã. Além disso, Masha se tornou alcoólatra — e Dasha, por tabela, coitada —, até que, em 2003, a gêmea mais problemática acabou morrendo algumas horas após reclamar de fortes dores nas costas. Dasha faleceu 17 horas depois devido a uma infecção generalizada desencadeada pela decomposição do corpo da irmã.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.