01
Compartilhamento

Aeroporto de Miami usará cães para detectar covid-19 em turistas

A American Airlines anunciou que irá iniciar oficialmente o protocolo de identificação de covid-19 com cães farejadores. A iniciativa, anunciada como programa piloto no início de setembro, será implementada no Aeroporto Internacional de Miami e terá como proposta a promoção de viagens seguras para as terras norte-americanas, garantindo tranquilidade para turistas e residentes.

O projeto de recuperação turística da Flórida começou há poucas semanas, quando cães foram levados para pontos específicos de checagem do aeroporto para farejar rastros da doença em funcionários da American Airlines. A estratégia contou com a participação e o suporte da plataforma Global Forensic and Justice Center, da Universidade Internacional da Flórida, e foi aprovada pela Casa Branca para dar continuidade ao plano de apresentação dos resultados negativos para covid-19 em turistas e estudantes.

Os primeiros testes ocorreram com os "fiscais" Cobra, um pastor belga, e One Betta, um pastor alemão, que haviam identificado dois alertas durante as etapas iniciais do projeto. Ambos retornarão em definitivo para utilizar suas habilidades em prol do país e deverão indicar pessoas para exames PCR caso haja suspeitas de infecção.

(Fonte: Getty Images / Reprodução)(Fonte: Getty Images/Reprodução)

"Cachorros podem ser mais sensitivos que alguns de nossos instrumentos e podem detectar o vírus mais rapidamente. Se você está treinando um cachorro novo, pode levar 2 ou 3 meses. Levou apenas 2 ou 3 dias para esses cães e 3 semanas para se tornarem proficientes", comentou Kenneth Furton, da Universidade Internacional da Flórida, reforçando a importância de ter Cobra e One Betta na equipe.

Impressionante capacidade olfativa

De acordo com Alexandre Argenta, CEO da TravelMate, a ideia por trás da iniciativa é evitar um alastre da pandemia e novos impactos negativos na recuperação gradual dos serviços, de forma a garantir a saúde dos viajantes e dos estadunidenses. Para isso, o apoio de um animal com capacidade olfativa apurada, superior em até 44 vezes à capacidade humana, é essencial no combate a novas infecções.

Isso porque, além de serem extremamente adaptativos e de terem rápido aprendizado, os cães rastreiam partículas com incrível precisão de 96% a 99%. Esses dados foram obtidos em um estudo em que os farejadores foram utilizados para detectar louro murcha, um fungo capaz de matar certas árvores, e posteriormente treinados para identificar compostos orgânicos voláteis eliminados pelo organismo humano.

Com a medida, o Aeroporto Internacional de Miami se tornou o primeiro dos Estados Unidos a adotar a ação com animais.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.