Seja o primeiro a compartilhar

5 razões pelas quais você deve ingerir lactobacilos vivos

É bem provável que você tenha ouvido alguma vez que ingerir lactobacilos vivos é benéfico para a sua saúde. Mas, afinal, será que isto é verdade? E quais são as consequências de acrescentá-los na sua alimentação?

Para esclarecer isto, precisamos explicar o que são esses organismos. Os lactobacilos são probióticos, ou seja, são "bactérias do bem", que não prejudicam sua saúde. Pelo contrário: ao agir no trato intestinal, eles cooperam para que você tenha uma melhor qualidade de vida. Eles ainda podem se alimentar de outros objetos orgânicos dentro de nosso corpo, auxiliando na prevenção de infecções e funcionando como antibióticos naturais.

Ainda não está convencido de que eles deveriam entrar na sua dieta? Pois confira neste texto 5 razões pelas quais você deveria ingerir mais lactobacilos.

1. Ajudam na redução do colesterol

(Fonte: Segredos do Mundo)(Fonte: Segredos do Mundo)

Altos níveis de colesterol ruim (LDL) estão associados a riscos para doenças cardíacas. Há estudos que sugerem que alguns probióticos podem auxiliar na diminuição destes níveis. O mais eficiente entre eles é o L. acidophilus.

Estas pesquisas mostraram que a ingestão deste probiótico durante seis semanas causou um efeito de redução significativa do colesterol total e LDL, embora também tenha diminuído o colesterol "bom" (HDL). Por isso, é importante monitorar junto ao médico o seu efeito no seu organismo.

2. Auxiliam na imunidade

(Fonte: InfoEscola)(Fonte: InfoEscola)

Os probióticos tendem a "turbinar" nosso sistema de defesa. O efeito é mais ou menos o seguinte: quando estas bactérias do bem chegam até o intestino, as células de defesa prontamente as atacam, pois não identificam imediatamente se o que está chegando é benéfico ou maléfico ao corpo. Isso causa um "choque" no nosso sistema imunológico, que fica ativo e pronto para combater outros ataques de micro-organismos, como os que causam reações infecciosas.

3. Aliviam os sintomas da síndrome do intestino irritável

(Fonte: Medfocus)(Fonte: Medfocus)

A síndrome do intestino irritável (SII) é um problema bem chato que afeta muitas pessoas. Os sintomas costumam ser dor abdominal, inchaço e movimentos intestinais incomuns. Não se sabe exatamente o que causa a SII, mas há indícios que sugerem que ela possa ser causada por algumas bactérias intestinais.

Alguns estudos já examinaram os efeitos dos probióticos na melhora destes sintomas. Uma pesquisa envolvendo 60 pessoas com SII acompanhou as consequências da ingestão de L. acidophilus e verificou a diminuição do inchaço depois de um período de dois meses, além do alívio da dor abdominal.

No entanto, outro estudo chegou a outro resultado: observou que o uso de L. acidophilus não teria dado o efeito desejado nos sintomas da SII. Acredita-se que isso possa estar relacionado à quantidade de probióticos: uma ingestão de dose baixa de cepa única pode dar efeitos melhores nas dores causadas pela síndrome.

4. Ajudam no tratamento da obesidade

(Fonte: Veja)(Fonte: Veja)

Os efeitos que os probióticos causam se localizam especificamente na microbiota intestinal (que antigamente era chamada de flora intestinal). O que eles fazem, portanto, é alterar este ambiente.

Já se sabe que a microbiota de um indivíduo obeso costuma ser diferente da de uma pessoa de peso saudável. Estudos já mostraram que o lactobacilo Akkermansia muciniphila costuma aparecer no intestino de pessoas mais magras. 

Um experimento realizado no Centro Universitário São Camilo, em São Paulo, evidenciou que houve uma diminuição de 40% a 50% de massa corporal nas cobaias que ingeriram a Akkermansia muciniphila.

Este probiótico ainda não está disponível no mercado, mas, por enquanto, dá para incrementar o consumo de cebola, castanhas, chocolate e frutas vermelhas — todos eles são alimentos que fazem este micro-organismo proliferar.

5. Podem melhorar a aparência da pele

(Fonte: Aniela Romanini)(Fonte: Aniela Romanini)

Melhorar a saúde intestinal é um dos caminhos mais garantidos para incrementar a saúde da pele. Um intestino regulado faz com que toxinas sejam eliminadas e a pele fique mais hidratada e viçosa. Os lactobacilos podem ter uma grande participação neste objetivo.

Mas, além de melhorar a cútis, já se sabe que os probióticos ajudam a combater processos inflamatórios que refletem na pele — o que tem efeitos positivos, por exemplo, nas pessoas que sofrem de dermatite atópica. Por isso, investir nestes micro-organismos é um reforço a mais para eliminar a acne e os cravos, além de aliviar situações incômodas como a dermatite.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.