Será que comer insetos fará parte do nosso futuro?
200
Compartilhamentos

Será que comer insetos fará parte do nosso futuro?

Último Vídeo

Você já experimentou um gafanhotinho assado ou uma cigarra frita? O que pode parecer nojentíssimo para muitos lugares ocidentais já é bastante difundido em países do Oriente, como China, Coreia e Tailândia. Os insetos usados como alimentação são uma realidade que pode até fazer parte do mundo inteiro em um futuro não muito remoto.

Antes que você faça cara de asco, saiba que as pessoas que experimentaram garantem que o gosto não é ruim, podendo até ser muito crocante e ainda mais saboroso com a ajuda de um molhinho. Com certeza, o que nos deixa com aflição são as perninhas, asinhas e o próprio inseto mesmo como um todo.

Afinal, como ter coragem de colocar na boca uma barata asquerosa ou mesmo um escorpião? Pois esse pensamento pode mudar, assim como mudou em relação ao sushi, por exemplo, que há 30 anos era visto como intragável e hoje é um dos pratos mais consumidos no mundo. 

O alimento do futuro

Com uma população em crescimento acelerado, já se aproximando de 7 bilhões de pessoas no mundo, nossos métodos atuais de agricultura e pecuária podem se tornar simplesmente insuficientes para alimentar a todos nós.

Fonte da imagem: Shutterstock

Por essa razão, a Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas começou a defender uma solução interessante. Em um relatório publicado em maio passado, a Organização afirma: “É amplamente conhecido que em 2050 o mundo terá 9 bilhões de pessoas. Para acomodar esse número, a produção de alimentos atual terá de ser quase o dobro. Precisamos encontrar novas formas de cultivo de alimentos”. E essa nova forma pode ser a entomofagia, que é a prática de criar e comer insetos.

E você pensa que somente os orientais aderem à prática? A entomofagia já domina a alimentação de muitas pessoas em 80% dos países do mundo, somando cerca de 2 bilhões que já comem mais de 1.400 espécies de artrópodes. Fora a maioria dos países do primeiro mundo, essa “gastronomia” é muito comum e presente em vários povos, sendo vista na América Latina, na África e, é claro, na Ásia.

Por que é bom para você?

Além de ser uma fonte de alimentação fácil de ser encontrada e abundante, os insetos são ótimas fontes de proteínas e gordura “boa”, sendo que 100 gramas de grilos, por exemplo, contêm 12,9 g de proteína e 5,5 g de gorduras insaturadas. A mesma porção de gafanhotos tem 20,6 g de proteína e 6 g de gordura, enquanto uma quantidade de carne bovina magra vem com 30,5 g de proteína e 5,8 g de gordura. Além de tudo, tem poucas calorias!

Onde encontrar?

Por enquanto, os países do ocidente não têm insetos no comércio assim como açougues existem por aí. Em alguns lugares, porém, existem fazendas de criação que podem disponibilizar as iguarias. Aliás, essa pode ser uma boa forma para ganhar dinheiro no futuro, não é mesmo? No Brasil, já existem comunidades incentivando a prática, como você pode conferir nessa página do Facebook. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.