Mais 4 sociedades secretas das quais você provavelmente nunca ouviu falar
116
Compartilhamentos

Mais 4 sociedades secretas das quais você provavelmente nunca ouviu falar

Último Vídeo

Não é nenhuma novidade que ao longo da História inúmeras sociedades secretas foram fundadas pelo mundo, e inclusive já falamos a respeito de várias delas aqui no Mega Curioso. Algumas resistiram à passagem do tempo — como é o caso da Maçonaria, por exemplo —, enquanto outras tantas acabaram desaparecendo. No entanto, é inegável que, independente de seus objetivos, peculiaridades e esquisitices, essas organizações despertam a curiosidade de todos.

Foi pensando nisso que decidimos reunir quatro sociedades secretas — selecionadas a partir de um artigo de Sayali Bedekar Patil do site The Richest — das quais você provavelmente nunca ouviu falar. Confira:

1 – Arioi

Estabelecida no Taiti, esta sociedade secreta consistia em uma ordem religiosa composta apenas pelos membros mais belos e bem-sucedidos da população. Seus integrantes — homens e mulheres — veneravam Oro, o deus da guerra, enalteciam as artes e a liberdade sexual e eram obrigados a se abster de ter filhos. Por essa razão, era comum que os membros da Arioi cometessem abortos e até infanticídios.

Os integrantes acreditavam que seu ingresso na sociedade secreta garantia a eterna juventude e uma existência repleta de prazeres. Outra característica interessante é que os membros podiam abandonar a Arioi quando quisessem e constituir família sem sofrer qualquer tipo de hostilidade por parte dos demais integrantes.

2 – Calves' Head Club

Fundada na Inglaterra no século 17 pouco depois da decapitação do Rei Carlos I, os integrantes do Calves' Head Club — ou “Clube das Cabeças de Bezerro” em tradução livre — costumavam se encontrar para, basicamente, celebrar a execução do monarca. Esta sociedade secreta era formada por integrantes que compartilhavam as mesmas ideias e que se reuniam simplesmente para passar o tempo juntos e festejar.

No entanto, todos os anos no dia 30 de janeiro — data de aniversário da execução do Rei — ocorria uma celebração especial. Os membros se reuniam para um banquete que consistia em uma cabeça de bacalhau (devia ser mais fácil encontrar essa raridade na época!), que simbolizava a cabeça de Carlos I, lúcio, peixe que representava a tirania, e em uma cabeça de um javali, que significava a perseguição do rei contra seus inimigos.

Além disso, também eram servidas cabeças de bezerro, para representar o monarca e seus seguidores; um machado — arma usada na decapitação — era colocado em um lugar de destaque à mesa. Após o banquete, os integrantes do Calves' Head Club queimavam uma cópia da autobiografia de Carlos I (conhecida como Eikon BasilikeI), e todos brindavam a morte do rei. Aliás, vamos combinar... Esse Carlos I era "superquerido"! 

3 – Sociedade da Palavra do Cavaleiro

Conhecida pelo nome original de The Society of the Horseman’s Word, esta sociedade secreta surgiu na Escócia durante o século 18 e, inicialmente, acreditava-se que ela composta por ferreiros e camponeses que recitavam feitiços e faziam uso da bruxaria para domar seus cavalos.

No entanto, de acordo com historiadores, na verdade, a Sociedade da Palavra do Cavaleiro era formada por homens com profundo conhecimento sobre esses animais que se reuniam em segredo para trocar todo tipo de informação relacionada aos equinos.

Assim, durante os encontros, os membros falavam a respeito de como domar os cavalos e sobre quais ervas medicinais seriam indicadas para tratar determinadas doenças, por exemplo. Além disso, existia um ritual de iniciação no qual os novatos entoavam cânticos antigos, faziam juramentos, liam passagens da bíblia de trás para frente e aprendiam cumprimentos e códigos secretos — daí a crença de que os cavaleiros praticavam a bruxaria.

4 – Les UX

Panteão de Paris

Ao contrário dos exemplos anteriores, de irmandades que, até onde se sabe, não existem mais, esta sociedade da qual vamos falar agora foi criada por um grupo de artistas na década de 80 e continua em plena atividade.

A Les UX — de Urban eXperiment — se dedica a construir, melhorar e restaurar locais pouco acessíveis de Paris. Entre as ações dos membros desta sociedade secreta está a restauração de diversas criptas medievais e do relógio do Panteão, a criação de um cinema clandestino em uma galeria subterrânea da cidade e a organização de peças, leituras e exibições.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.