Será que o Universo poderia ter surgido a partir de um buraco negro?
805
Compartilhamentos

Será que o Universo poderia ter surgido a partir de um buraco negro?

Último Vídeo

O consenso atual é de que o Universo surgiu a partir do Big Bang, uma explosão que ocorreu há cerca de 13,7 bilhões de anos e deu origem a tudo o que existe no cosmos. Antes de ele acontecer, os físicos teorizam que tudo se concentrava em um ponto extraordinariamente denso, hiperquente e energético conhecido como “singularidade” — ponto onde algo interessante ocorre: as leis que governam o espaço, o tempo, a matéria e a energia deixam de funcionar!

Mas, e antes da singularidade, o que existia? Afinal, algo deve ter afetado esse estado primordial e desencadeado o nascimento do Universo, certo? Pois, segundo Ethan Siegel, em um artigo publicado pela Forbes, apesar de todas as tentativas de responder a essa questão, ninguém conseguiu estabelecer o que havia antes daquela singularidade inicial.

O que sabemos

O problema com a singularidade é que não podemos olhar além da que havia antes do Big Bang, mas, de acordo com Ethan, ela ocorre em outra situação no Universo. Isso mesmo, caro leitor, a singularidade existe no interior dos buracos negros — e um grupo de físicos teóricos de uma universidade canadense acredita que as duas singularidades (a que havia quando o cosmos nasceu e a existente nos buracos negros) podem ter muito em comum.

A singularidade é complexa

Segundo Ethan, o que sabemos sobre o Big Bang é que, após a singularidade, o Universo começou a se expandir, passando, durante as primeiras frações de segundo depois da grande explosão, por um período de crescimento superacelerado conhecido como inflação. Já com relação aos buracos negros, o que sabemos é que, no nosso espaço tridimensional, eles formam um limite bidimensional — de onde não há retorno — chamado horizonte de eventos.

Desvendando mistérios

Segundo Ethan, a dificuldade que os cientistas encontram com a singularidade é que, para desvendá-la, eles precisariam calcular o que ela representa. Só que, conforme explicamos no início da matéria, as leis que regem o funcionamento do cosmos vão por água abaixo quando aplicadas à singularidade.

Precisaríamos de uma teoria unificada para desvendar seus mistérios

Na verdade, para que os cálculos pudessem ser feitos, deveria ocorrer uma unificação entre a Teoria Geral da Relatividade, que lida com, digamos, coisas grandalhonas que existem no Universo, como galáxias, estrelas, planetas etc., e a Mecânica Quântica, que foca em coisinhas pequeninas, no nível das partículas.

Mas, apesar de essa teoria universal não existir ainda, os cientistas podem fazer uma porção de cálculos com base em dados que eles conseguem obter a partir dos buracos negros — que possuem singularidade. É possível estimar, por exemplo, o que acontece tanto com o espaço-tempo ao longo do horizonte de eventos, da singularidade até a “boca” desses monstros cósmicos, como o que ocorre no limite entre horizonte de eventos e o cosmos.

Múltiplos universos?

Enfim... O interessante é que, matematicamente, segundo os cientistas da universidade canadense, não existe nada que impeça que o Big Bang tenha ocorrido como consequência do colapso de uma megaestrela — e que deu origem a um buraco negro. Afinal, os resultados dos cálculos sobre o que acontece no horizonte de eventos coincidem perfeitamente com os cálculos sobre o que aconteceu no nascimento do nosso universo.

Seria o Big Bang consequência do colapso de uma estrela?

Segundo o Ethan, quando o tal buracão negro se formou, ele pode ter continuado a se expandir e crescer em quatro dimensões conforme mais matéria foi sendo atraída para o seu interior. Ainda segundo Ethan, o Universo pode ter surgido a partir da singularidade desse buraco negro imenso e poderia ser uma espécie de “envoltório” tridimensional que se encontra em seu horizonte de eventos.

Isso significaria que, cada vez que um buraco negro imenso se forma no nosso universo, ele poderia dar origem a um novo cosmos bidimensional? Pois, de acordo com Ethan, por mais que vários cientistas tenham tentado provar que não, a verdade é que a resposta a essa pergunta é talvez.

Será que se entrássemos por ali sairíamos por aqui?

Evidentemente, essa possibilidade não passa de teoria de momento, mas, de acordo com Ethan, o nosso universo “poderia ser uma realização análoga de um buraco negro de quatro dimensões com um horizonte de eventos tridimensional”. Nesse caso, existe a possibilidade de que, se um dia chegarmos a cair em um buraco negro, de alguma forma, nós possamos ser transportados até um universo completamente novo. Já pensou?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.