Confira 5 dos aracnídeos mais curiosos que existem pelo mundo
497
Compartilhamentos

Confira 5 dos aracnídeos mais curiosos que existem pelo mundo

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Embora muita gente morra de medo de aranhas, a verdade é que elas são animais extraordinários. Apesar de serem venenosos e do pavor que causam, apenas alguns desses bichinhos oferecem riscos aos humanos. Na verdade, existem inúmeras pesquisas em andamento relacionadas com as toxinas que elas produzem e com suas incríveis teias para possíveis aplicações na medicina e em diversas tecnologias.

Além disso, caso você não saiba, as aranhas ocupam o sétimo lugar em número de variedade de espécies no Reino Animal e conseguiram fixar residência em todos os continentes do planeta — com exceção da Antártida. Portanto, com tamanha variedade espalhada pelo mundo, é óbvio que não poderiam faltar exemplares pra lá de curiosos por aí. Confira 5 deles a seguir:

1 – Cebrennus rechenbergi

Nativa do deserto de Erg Chebbi, situado no sudoeste do Marrocos, a Cebrennus rechenbergi é uma espécie de aranha que só foi descrita cientificamente em 2014, e cujo corpinho não chega a medir nem dois centímetros. E o que é que esse bichinho tem de tão especial? Assista ao vídeo a seguir e descubra!

Pois é, caro leitor, quando se sentem ameaçadas, as aranhas da espécie C. rechenbergi fogem de seus predadores dando saltos mortais, como você viu no vídeo acima. Elas podem chegar a percorrer cerca de dois metros por segundo — que o dobro do que elas conseguiriam cobrir se locomovendo normalmente. E tem mais: as bichinhas também conseguem rodopiar desse jeito morro acima quando necessário!

2 – Caerostris darwini

Endêmicas de Madagascar, as Caerostris darwini são famosas por suas engenhosas e resistentes teias — e pelo inusitado comportamento que os machos apresentam durante o acasalamento. Antes de começar o “rala e rola” propriamente dito, os machos costumam mordiscar os genitais das fêmeas e imobilizá-las com suas teias.

Outra coisa que acontece é que os machos deixam seus órgãos genitais no interior do corpo das pretendentes para evitar que elas acasalem com outros parceiros — e possivelmente para ter tempo de fugir antes que as aranhas se soltem das teias e os devorem, que é o que as fêmeas fazem quando têm oportunidade.

3 – Cyrtarachne inaequalis

As aranhas da espécie Cyrtarachne inaequalis podem ser encontradas na Índia, China, Coreia e Myanmar e fazem algo que os cientistas não conseguiram entender ainda: seus corpinhos diminutos pulsam de forma meio psicodélica. Veja:

As imagens acima foram registradas por um fotógrafo chamado Nick Bay, que explicou que o abdome das C. inaequalis apresenta uma “movimentação pulsante que parece mostrar os órgãos internos desses bichinhos trabalhando através de uma membrana translúcida”. Ninguém soube explicar ainda como e com qual propósito as aranhas fazem essa curiosa exibição, mas alguns cientistas argumentam que ela talvez sirva para atrair presas e afugentar predadores.

4 – Scytodes

Scytodes, na verdade, não é nome de uma espécie, mas sim de um gênero de aranhas que podem ser encontradas por todo o mundo. E o que é que elas fazem que as tornam diferentes das demais? Esses aracnídeos também são conhecidos “aranhas cuspidoras” — e você já vai entender o motivo!

As aranhas desse gênero costumam capturar suas presas lançando um par de filamentos de teia embebidos em veneno que ziguezagueiam até o alvo a velocidades que podem chegar a quase 100 km/h! Como se fosse pouco, esses fios ainda são supergrudentos e, depois que a vítima se encontra toda enroscada, as fibras secam e encolhem de tamanho, deixando o animal completamente preso — e prontinho para que as Scytodes apliquem uma dose mortal de veneno.

5 – Dolomedes

Você sabia que existe um gênero de aranhas que são capazes de flutuar na água? Do gênero Dolomedes, esses aracnídeos podem ser encontrados na Austrálialógico!) e na Nova Zelândia, assim como em algumas partes da Europa e dos EUA, e seus corpinhos são cobertos por uma camada hidrofóbica que permite que eles fiquem tranquilamente na superfície — de onde eles “pescam” suas vítimas!

Com relação às “vítimas”, as Dolomedes usam os pelinhos que cobrem suas patas para sentir as vibrações na água que indicam a aproximação e a localização de uma possível presa. E, embora elas geralmente se alimentem de girinos e insetos aquáticos, essas aranhas não dispensam pequenos peixes também — e são capazes de mergulhar até 18 centímetros de profundidade para capturá-los.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.