Incrível: esta a camisa de força foi bordada pela paciente de um manicômio
30
Compartilhamentos

Incrível: esta a camisa de força foi bordada pela paciente de um manicômio

Último Vídeo

Para quem está acostumado a ver apenas imagens horripilantes de instituições mentais do passado — e nem tão do passado assim! —, eis uma relíquia fascinante que se transformou em peça de museu. O item que você pode ver a seguir consiste na “camisa de força” de Agnes Richter, uma mulher com problemas mentais que esteve internada na Clínica Psiquiátrica Heidelberg, na Áustria, no final do século 19. confira:

Camisa de força bordada(Colossal)

Na verdade, dependendo da fonte consultada, a peça de vestuário é apresentada como sendo a camisa de força da paciente, simples casaco ou parte do uniforme da instituição. Entretanto, independentemente do que o item de vestuário realmente era, o fato é que Agnes dedicou bastante tempo e paciência para bordá-lo de cabo a rabo com seus pensamentos.

Autobiografia

De acordo com Kate Sierzputowski, do site Colossal, enquanto esteve internada na instituição, Agnes preencheu a peça com palavras, frases e relatos de eventos cotidianos, tudo em Deutsche Schrift, ou seja, em alemão antigo. Por essa razão, e porque os bordados ficam sobrepostos uns sobre outros em algumas partes, apenas alguns fragmentos puderam ser decifrados.

Camisa de força bordada(Colossal)

Entre os bordados, foram identificadas frases como “Eu não sou grande”, “Eu gostaria de ler” e “Eu mergulho de cabeça em desastre”, e uma teoria é a de que Agnes bordou a história de sua vida na peça em uma tentativa de recuperar sua própria identidade. Pois quem guardou o casaco da paciente foi o médico psiquiatra Hans Prinzhorn — que, ao longo da carreira, acabou acumulando uma respeitável coleção de itens criados por pacientes.

Camisa de força(Colossal)

Atualmente, a “camisa de força” de Agnes faz parte da Coleção Prinzhorn — que recebeu esse nome em homenagem ao médico —, que fica na Clínica Psiquiátrica da Universidade de Heidelberg. No total, a coleção é composta por mais de 5 mil peças, entre ilustrações, cartas, pinturas e esculturas, e você pode conferir outros itens curiosos a seguir:

Carta de paciente psiquiátricoCarta escrita por uma paciente chamada Emma Hauck (Atlas Obscura)

Arte de paciente psiquiátricoPintura criada pelo paciente August Natterer (Atlas Obscura)

Desenho de paciente mentalDesenho ligeiramente obsceno criado pelo paciente George Muller (Atlas Obscura)

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.