Harry Potter, bruxinhos de Hogwarts, ficção e realidade, Ramla, cemitério de Israel, Exército Britânico, Regimento de Worcestershire, revolta, rebelião, Palestina
146
Compartilhamentos

“Harry Potter” foi sepultado em Israel — e sua lápide atrai turistas e fãs

Último Vídeo

Mesmo que você não seja superfã das famosas histórias dos bruxinhos de Hogwarts, certamente você já ouviu falar e sabe quem é Harry Potter, certo? Pois, apesar de ele ser um personagem da ficção, curiosa — e tragicamente —, há um “Harry Potter” sepultado em um cemitério de Israel, um que existiu de verdade, era de carne osso, não se dedicava à bruxaria e cuja lápide se transformou em um local popular entre os turistas que viajam ao país.

Coincidência curiosa — e trágica

De acordo com o pessoal do site Atlas Obscura, o cemitério fica na cidade de Ramla, e abriga os túmulos de soldados britânicos que caíram durante os conflitos resultantes das revoltas anticolonialistas que ocorreram na Palestina no final dos anos de 1930. Harry Potter fazia parte de um dos regimentos do Exército Britânico que foram enviados para combater a resistência, o Regimento de Worcestershire, e morreu em serviço.

Segundo o Atlas Obscura, as rebeliões tiveram início em 1936, e Harry Potter foi enviado à Palestina em 1938, onde serviu como motorista de seu batalhão. Hoje se sabe que o jovem soldado mentiu a idade para poder se alistar — na época, era necessário ter no mínimo 17 anos, e Harry não tinha nem isso! —, e que ele faleceu no finalzinho da revolta, em julho de 1939, no Hebron.

Embora esse conflito seja bem menos conhecido do que muitos outros que já foram travados pelo mundo, as rebeliões terminaram com mais de 5 mil mortos entre os árabes, cerca de 300 entre os judeus, e mais de 260 entre os britânicos. Harry Potter foi um desses soldados, e sua lápide vem atraindo um número crescente de turistas e fãs — mas não por conta de sua participação nas batalhas, como você bem pode imaginar.

Vale lembrar ainda que a maioria das sepulturas que se encontram no cemitério não da época das revoltas palestinas, mas da Primeira Guerra Mundial. Mais especificamente, a maioria das tumbas pertence a vítimas de uma ocupação australiana que aconteceu em 1917, e mais ou menos mil delas não possui identificação. A de Harry Potter possui e, por causa de uma coincidência, recebe muito mais visitas que as demais.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.