4 objetos eróticos da Antiguidade que são pra lá de picantes

4 objetos eróticos da Antiguidade que são pra lá de picantes

Último Vídeo

Se engana quem pensa que a pornografia e a exibição de genitais consistem em invenções ou costumes modernos. Como você poderá conferir nos exemplos a seguir, selecionados a partir de um artigo de Ben Gazur, do site ListVerse, não é de hoje que a humanidade produz imagens explícitas contendo atos ou membros sexuais, indicando que os povos da Antiguidade tinham muito menos pudor do que a sociedade atual!

1. Tintinnabula

Não é nenhum segredo que na Roma Antiga os falos eram considerados amuletos, tanto que não faltam registros de esculturas, penduricalhos, joias e outros adornos com formato de pênis que eram espalhados pelas cidades e casas desse povo. No entanto, os sinos também eram tidos como talismãs pelos antigos romanos — e o “Tintinnabula”, o objeto que você pode ver a seguir, nada mais é do que uma junção desses dois objetos, para dobrar o poder da mandinga! Veja:

(Fonte: Wikimedia Commons / Kleon3 / Reprodução)

Peças como essa que você acabou de ver acima eram móbiles que faziam ruído quando movidos pelo vento e costumavam ser pendurados nas portas das residências e em jardins para espantar a má sorte e os maus espíritos. E os talismãs podiam ser bem elaborados, contando com vários sininhos pendurados para produzir barulho e o pênis central da peça frequentemente era dotado de asas ou cauda de leão.

(Fonte: Wikimedia Commons / Sailko / Reprodução)

2. Amantes de Ain Sakhri

Pode que a imagem abaixo seja confundida com uma simples pedra ou escultura disforme. Mas, na verdade, se trata de uma estatueta de 11 mil anos que mostra um casal fazendo sexo – a mais antiga representação de uma cópula entre humanos de que se tem notícia! Conhecido como “Amantes de Ain Sakhri”, o artefato mede cerca de 10 centímetros de altura e, dependendo de como é observado, além de mostrar o casal em pleno ato, o objeto revela outras peculiaridades. Veja a estatueta:

(Fonte: BBC / The British Museum / Reprodução)

Como os rostos são desprovidos de feições, as cabeças dos amantes lembram um par de pênis. Ademais, se a estatueta for colocada de lado, ela também recorda um falo — e, inclusive é possível identificar o formato de testículos e até mamas conforme o ângulo em que a peça é examinada. Encontrados no interior de uma caverna não muito longe de Belém, na Palestina, os Amantes de Ain Sakhri possivelmente foram criados pela cultura Natufian, que ocupou a região há milhares de anos. Hoje, o artefato se encontra em exposição no Museu Britânico, em Londres.

(Fonte: BBC / The British Museum / Reprodução)

3. Taça Warren

A peça da qual vamos falar a seguir, além de ser um dos mais belos exemplos de arte romana em prata, também está entre as mais polêmicas desse tipo. Conhecida como “Taça Warren”, acredita-se que ela tenha sido produzida por volta do século I e, ademais de ser uma taça de vinho finamente decorada com ilustrações de instrumentos musicais, ela mostra cinco figuras: dois casais homossexuais em momentos íntimos e um xereta espiando tudo.

(Fonte: Wikimedia Commons / Marie-Lan Nguyen / Reprodução)

Mais precisamente, em uma das faces da taça há um casal fazendo sexo, enquanto na outra, é possível ver um jovem se posicionando no colo de um homem com barba e de aparência mais madura — e existe ainda um voyeur observando a tudo de trás de uma porta semiaberta. Pois é... os antigos romanos eram muito mais liberais do que muita gente de hoje em dia, e as cenas presentes na taça já causaram bastante escândalo. Aliás, a peça inclusive foi proibida de entrar nos EUA em uma ocasião por ser considerada obscena demais.

Caption

4. Min

A coleção de figuras que você pode ver a seguir são, evidentemente, de origem egípcia  e representam uma divindade chamada Min de grande importância no Antigo Egito. Sim, o deus era retratado com o (enorme) pênis ereto, e se tratava de uma deidade lunar que simbolizava a fertilidade (obviamente) e a força da natureza, além de ser o deus da chuva, da vegetação e protetor dos comerciantes e mineradores.

(Fonte: ListVerse / Reprodução)

Uma curiosidade sobre as estatuetas é que elas geralmente aparecem segurando o falo com a mão esquerda e, nos santuários onde Min era venerado, os animais normalmente associados ao deus eram os touros, por conta de sua relação com a virilidade. Além disso, descobertas arqueológicas apontaram que a divindade também era associada com um tipo de vegetal que, ao ser cortado, liberava uma seiva esbranquiçada e gosmenta que você, com sua a mente criativa, já deve estar imaginando com o que os antigos egípcios relacionavam, né?

(Fonte: Wellcome Collection / Carole Reeves / Reprodução)

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.