Vilarejo no Japão ganha fama por arte em plantações de arroz

Com um pouco mais de 7 mil habitantes, o vilarejo de Inakadate, no Japão, virou uma atração turística por uma forma original e inusitada de arte. Moradores da localidade desenvolveram uma técnica de criação de ilustrações usando os tradicionais campos de arroz cultivados na região. 

Sem qualquer tipo de tinta, eles criam obras complexas, coloridas e que agora levam muitos curiosos ao local durante o período de crescimento dos arrozais.

A técnica foi desenvolvida em 1993, em uma tentativa do vilarejo de revitalizar a região e atrair visitantes. O que nem a administração local imaginava é que as fotos se espalhariam e transformariam a arte em um fenômeno mundial.

Os desenhos ficaram mais elaborados com o tempo.
Os desenhos ficaram mais elaborados com o tempo.

O cultivo de arroz é uma prática tradicional do local e a produção artística não prejudica a atividade comercial — pelo contrário, ela atrai turistas que acabam parando nas proximidades para observar melhor as criações. 

A vila fica na prefeitura de Aomori, no norte da ilha japonesa de Honshu. Vale lembrar que, no Japão, há exemplos também de arte feita com folhas e até mesmo esculturas de doces.

Os primeiros desenhos ainda não eram tão chamativos.
Os primeiros desenhos ainda não eram tão chamativos.

Os primeiros desenhos feitos em Inakadate envolviam apenas caracteres japoneses e não eram tão chamativos, mas já mostravam o potencial da criação. Com o tempo, as técnicas foram aprimoradas e figuras cada vez mais complexas foram geradas nos campos de arroz — incluindo até uma homenagem à franquia Star Wars.

Qual o segredo?

Para não utilizar tintas ou corantes, os moradores de Inakadate cultivam diferentes tipos de arroz que apresentam colorações naturais variadas.

O momento de plantio, após muito estudo e planejamento.
O momento de plantio, após muito estudo e planejamento.

Antes de realização a plantação, entretanto, eles estudam a área e fazem desenhos que são melhor observados sob uma certa perspectiva. Só então o efeito visual é desenvolvido com base no plantio, que é feito de forma totalmente manual pelos habitantes.

O processo começa nos meses da primavera e a arte passa a ser mais visível durante o início do verão — sendo o período entre julho e agosto o ideal para turismo nos arrozais.

O campo em detalhes e por outro ângulo.
O campo em detalhes e por outro ângulo.

A arte, conhecida como Tanbo, aos poucos foi adotada por outras regiões do Japão que costumam abrigar plantações de arroz.

Mais que uma imagem bonita

A ideia por trás da prática artística envolve ainda um aspecto educacional: ao se encantar pelo visual dos arrozais, os visitantes podem aprender mais sobre a agricultura e produção familiar da região.

Uma das homenagens a grandes franquias no vilarejo.
Uma das homenagens a grandes franquias no vilarejo.

Segundo o órgão de turismo de Aomori, cerca de 100 mil visitantes de todo o Japão viajam todos os anos aos campos do vilarejo. Até mesmo a família imperial fez uma visita oficial à atração em 2014.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.