Seja o primeiro a compartilhar

Kamikaze: 4 fatos chocantes sobre os soldados suicidas japoneses

Durante a Segunda Guerra Mundial, o exército japonês chamou a atenção do mundo ao apresentar os kamikazes, grupos de soldados que deram suas vidas por honra, medo ou ordens.

Essa investida militar evocou visões apavorantes sobre a destruição e, não somente despertou a população mundial para uma ideologia perigosa, como também mostrou até onde subalternos podem chegar para alcançar os objetivos de seus líderes e suas nações.

Confira abaixo alguns fatos sobre os kamikazes e entenda como a existência deles foi importante no desenrolar de eventos históricos.

1. Os samurais e o Código Bushido

(Fonte: iStock / Reprodução)(Fonte: iStock / Reprodução)

Condensado nas crenças Hagakure, que inspiravam os samurais a darem suas vidas a todo custo pelo imperador, o Código Bushido ("caminho do guerreiro") foi a filosofia de honra do século XVIII que guiou os soldados de espada, definindo os parâmetros de suas vidas e mortes. O código foi resgatado em 1940 e elogiado por comentaristas, incentivando o surgimento dos suicidas durante a Segunda Guerra Mundial.

2. Banzai e táticas suicidas

(Fonte: Gate Wiki / Reprodução)(Fonte: Gate Wiki / Reprodução)

A investida "Banzai!" — grito de guerra japonês que significa: "Que você tenha 10 mil anos de vida longa!" — foi uma série de ataques de ondas humanas que ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial. A tática de batalha foi uma decisão suicida do Exército Imperial Japonês determinada após a previsão de que a batalha estava prestes a ser perdida, sendo responsável por estimular soldados a cometer gyokusai ("joia despedaçada", em tradução livre), uma espécie de suicídio honroso, ao lado de homens-bomba.

3. As forças especiais tokko

(Fonte: Getty Images / Reprodução)(Fonte: Getty Images / Reprodução)

A Unidade de Ataque Especial tokko, ordenada em 1943 pelo primeiro-ministro Hideki Tojo, foi uma ação de improviso realizada pelo exército japonês que consistiu no recrutamento de aviadores voluntários para servirem como armas dos aviões de guerra. Esses pilotos dispensáveis e de baixo custo passaram a ser uma espécie de bomba guiada e, anos depois, foi comprovado que eram obrigados a servir a nação como uma forma de negativar a popularidade do Imperador Hirohito.

4. O "suicídio" do maior encouraçado da história naval

(Fonte: Wikipedia / Reprodução)(Fonte: Wikipedia / Reprodução)

Considerada o orgulho da Marinha Japonesa, a classe Yamato de encouraçados ostentava 9 dos rifles navais Type 94, de 18 polegadas (460 mm), projetados para um alcance de 74.029 quilômetros e para dispararem um projétil de 1460 quilos. O navio foi a principal arma do exército na operação Ten-Go, a última missão naval japonesa ofensiva da Segunda Guerra Mundial, quando pelo menos 3,7 mil tripulantes morreram afogados e queimados após os militares ativarem uma tática suicida de autoexplosão contra porta-aviões inimigos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER