Seja o primeiro a compartilhar

Além de Suzane: outras histórias de crimes famosos para você conhecer

A não ser que você viva sem internet e redes sociais, provavelmente leu ou ouviu algum comentário sobre os filmes A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais, que contam duas versões do assassinato do casal Von Richthofen em outubro de 2002.

O caso é um dos mais famosos da história — e tem um texto inteirinho sobre ele aqui no Mega Curioso. A verdade é que, por mais macabras que essas histórias sejam, é normal querer saber mais sobre elas: entender as motivações, como tudo aconteceu e como um ser humano pode chegar ao extremo de matar outra pessoa. Não é à toa que o gênero true crime (ou crimes reais, em português) é um dos mais populares na TV, no cinema e na literatura.

Pensando nisso, o Mega Curioso preparou hoje uma lista de sete livros com histórias de crimes famosos. Ótimas recomendações para você que tem costume de ler antes de dormir.

1. Casos Richthofen e Nardoni

Casos de família: arquivos Richthofen e arquivos Nardoni, de Ilana Casoy

Imagem: Jornal do Brasil/Reprodução(Fonte: Jornal do Brasil/Reprodução)

Começando pelos filmes do momento, esse foi o livro que os inspirou. Muita gente nas redes sociais tem afirmado que o livro é bem mais completo que os dois longas-metragens juntos. Além disso, há a história do caso Nardoni, que parou o país alguns anos depois. 

A obra foi escrita pela criminóloga Ilana Casoy, que fez muitas pesquisas nos arquivos da Polícia e do Ministério Público sobre os dois crimes. A reedição que linkamos, em especial, contém as anotações feitas por Casoy na época, enquanto ela desvendava ambos os casos. São mais de 500 páginas, com uma infinidade de detalhes para entender como esses crimes, que chocaram o Brasil, aconteceram — e os acusados puderam ser punidos.

2. Caso Evandro

O caso Evandro: sete acusados, duas polícias, o corpo e uma trama diabólica, de Ivan Mizanzuk

Imagem: G1/Reprodução(Fonte: G1/Reprodução)

O paranaense Ivan Mizanzuk ficou conhecido no país inteiro por sua narração detalhadíssima do caso do menino Evandro, na 4ª temporada do podcast Projeto Humanos. A história fez tanto sucesso que rendeu uma série no Globoplay e um livro — que traz ainda mais detalhes da enorme pesquisa feita por Mizanzuk sobre o caso.

Em resumo, o garoto Evandro Ramos Caetano, de 6 anos, sumiu em abril de 1992 em Guaratuba (PR). Alguns dias depois, seu corpo foi encontrado mutilado, levantando as suspeitas de que ele teria sido morto em um ritual satânico. Não demorou para que a esposa e a filha do prefeito fossem acusadas de serem "as cabeças do crime". Mas isso é só o começo — e a história fica cada vez pior…

3. A família Manson

Manson: a biografia, de Jeff Guinn

Imagem: VEJA/Reprodução(Fonte: VEJA/Reprodução)

Partindo para os criminosos gringos, a história de Charles Manson e sua "família" talvez seja um dos casos mais debatidos do século XX, com inúmeras referências na cultura pop.

Para quem quer mergulhar fundo na história, saber mais sobre como era a vida na família Manson (além do que vimos no filme do Tarantino) e entender como ele se tornou uma pessoa tão ruim, esse é o livro. O autor Jeff Guinn se dedicou por mais de 2 anos à vida de Charles Manson, gerando o livro com mais de 500 páginas a respeito do homem e de seus crimes.

4. O caso BTK

BTK Profile: máscara da maldade, de Roy Wenzl, Tim Potter, L. Kelly e Hurst Laviana

Imagem: Revista Galileu/Reprodução(Fonte: Revista Galileu/Reprodução)

A sigla pela qual o caso ficou conhecido já dá uma dica do que você encontrará nesse livro: BTK significa "bind, torture, kill" (em português, "amarrar, torturar e matar"). Esse serial killer aterrorizou Wichita (no Kansas, Estados Unidos) por 3 décadas — até que se descobriu que ele era Dennis Rader, um "cidadão de bem", pai de família e líder da igreja local.

O livro é baseado na série de mais de 800 reportagens feitas pelo jornal local Wichita Eagle, que acabou ajudando a prender o criminoso quando ele cometeu um erro.

5. O primeiro serial killer

H. H. Holmes: Maligno — O psicopata da cidade branca, de Harold Schechter

Imagem: R7/Reprodução(Fonte: R7/Reprodução)

A maioria dos crimes famosos e serial killers sobre os quais ouvimos falar por aí é do século XX. Então, se você quer conhecer uma história macabra com aquele clima da época, acabou de encontrar: o Dr. H. H. Holmes talvez seja o primeiro serial killer conhecido no mundo todo.

Holmes chocou a sociedade norte-americana após confessar 27 assassinatos — e pode ter feito muito mais vítimas, já que construiu um hotel cheio de armadilhas para matar pessoas.

6. O serial killer Ted Bundy

Ted Bundy: um estranho ao meu lado, de Ann Rule

Imagem: Esquina da Cultura(Fonte: Esquina da Cultura)

Ann Rule começou a cobrir casos criminais e escrever sobre eles, até que uma coincidência bizarra começou a atormentá-la: um dos serial killers sobre os quais ela escrevia era um rapaz com quem havia trabalhado em um centro de atendimento de prevenção de suicídio muitos anos antes. Ninguém menos que Ted Bundy.

Para Rule, Ted era um rapaz simpático e colega de trabalho. Mas ele confessou ter matado mais de 36 mulheres nos anos 1970. Com essa premissa única, a autora acabou criando uma das melhores obras true crime que você pode encontrar no mercado — afinal, ela realmente conheceu o assassino. O livro acabou inspirando o filme da Netflix, bem como a série documental sobre Ted Bundy.

7. John Wayne Gacy

Killer clown profile: retrato de um assassino, de Terry Sullivan e Peter T. Maiken

Imagem: El País/Reprodução(Fonte: El País/Reprodução)

Na minha opinião, esse é um dos casos mais bizarros desta lista. Afinal, o cidadão exemplar John Wayne Gacy se vestia de palhaço em festas infantis, mas também estuprou e matou 33 adolescentes, escondendo os corpos no assoalho de sua casa. Há quem diga que ele foi a inspiração de Stephen King para o Pennywise, de It.

Depois desta lista, que tal ler alguns posts sobre animais fofos para esquecer tantos casos macabros?

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.