17
Compartilhamentos

6 itens históricos famosos que se perderam no tempo

Ao longo da história da humanidade, nós desbravamos inúmeras civilizações e desvendamos vários tesouros de gerações passadas, que um dia já foram considerados descobertas incríveis. Porém, também não são poucas às vezes que a humanidade se mostrou capaz de perder algo raro de uma vez por todas.

Pensando nisso, nós separamos uma lista com seis itens históricos que já foram muito famosos e desapareceram completamente do mapa. Será que você já ouviu falar de algum? Olha só!

1. Retrato de um Jovem

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Pintada por Raphael em 1514, a obra "Retrato de um Jovem" mostra a imagem de um rapaz olhando confiantemente para o pintor. Antes da Segunda Guerra Mundial, a peça pertencia à coleção do Príncipe Czartoryski, da Polônia, mas foi roubada por soldados nazistas e enviada a Berlim para virar parte da coleção de Hitler.

No trajeto, entretanto, a pintura foi perdida de alguma forma e nunca mais encontrada. Pesquisadores estimam que os alemães tenham queimado a arte nesse processo. 

2. Homem de Pequim

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

O Homem de Pequim foi o nome dado para os fósseis de Homo erectus encontrados em 1930 e considerados patrimônio nacional da China. Datados para quase 750 mil anos atrás, essas peças possuíam valor inestimável para a paleontologia. Em 1941, os fósseis foram colocados em caixas para serem levados aos Estados Unidos, mas nunca mais foram encontrados.

Com o caos da Guerra, os chineses não conseguiram mais rastrear a localização do objeto. Segundo relatos, existe uma forte possibilidade de que os fósseis estejam enterrados em uma área industrial completamente asfaltada.

3. Taça Jules Rimet

(Fonte: CBF/Divulgação)(Fonte: CBF/Divulgação)

Antes do tradicional taça atual, os vencedores da Copa do Mundo de Futebol eram premiados com a Taça Jules Rimet a cada quatro anos. Em 1970, o Brasil ganhou a posse definitiva do troféu após ganhá-lo pela terceira vez. Porém, a sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi invadida por três homens em 1983, que conseguiram dar conta dos seguranças e roubar o item lendário.

Houve um apelo nacional para que o troféu fosse devolvido, o que não aconteceu. A suspeita é de que o item foi derretido e posteriormente vendido como um lote de ouro.

4. Honjo Masamune

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

A espada Honjo Masamune foi uma das edições lendárias criadas pelo espadachim Masamune, o qual viveu durante o período Ukiyo-e. Suas espadas possuíam uma mistura única de aços leves e duros, impedindo que as armas quebrassem com facilidade em combate.

Usada pela primeira vez na Batalha de Kawanakajima, em 1561, a Honjo Masamune foi passa de geração a geração pela família Tokugawa, que comendou o Japão por 250 anos. Ao fim da Segunda Guerra, o produto foi entregue aos norte-americanos como rendição, mas foi perdido no trajeto até os Estados Unidos. A lenda diz que a espada foi derretida.

5. Medusa de Da Vinci

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

A obra "Medusa", pintada por Leonardo Da Vinci, é um dos desaparecimentos mais estranhos na história da arte. Segundo os relatos do arquiteto Giorgio Vasari, o retrato da monstruosa criatura baseada na lenda grega da Medusa teria assustado o pai de Da Vinci ao vê-la pela primeira vez. 

Porém, esse é o único relato histórico que aponta a existência de tal obra. Dentro da comunidade artística, algumas pessoas duvidam que a pintura seja verdadeira, uma vez que não há mais indícios sobre onde está ou como teria sido perdida. 

6. Diamante Florentino

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Descoberto pela primeira vez na Índia, o Diamante Florentino era um diamante de 137 quilates de cristal amarelo cintilante, que rapidamente se tornou uma das joias mais cobiçadas de toda a Europa. O diamante esteve no corpo de Carlos, Duque da Burgonha, quando esse morreu em batalha em 1477. 

De alguma forma, a joia foi parar sob posse da família Medici, na Florença, e lá permaneceu até ir parar em Viena na Primeira Guerra Mundial. Com a derrota austríaca, o objeto foi roubado e depois perdido. Muitas pessoas acreditam que a peça foi cortada em versões menores e vendida em um mercado paralelo. 



Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.