Fortaleza de 2 mil anos pode confirmar as origens do Hanukkah

Arqueólogos israelenses desenterraram recentemente os restos carbonizados de uma antiga fortaleza grega datada de 2,1 mil anos atrás. Para os especialistas, a nova descoberta fornece fortes evidências que sustentam as histórias da vitória dos judeus sobre os governantes gregos. Esses eventos estão relacionados à origem da celebração de Hanukkah.

A fortaleza foi construída com paredes de pedra com quase três metros de espessura.(Fonte: Emil Aladjem Israel Antiquities Authority/ Reprodução)Fortaleza foi construída com paredes de pedra com quase 3 metros de espessura.(Fonte: Emil Aladjem Israel Antiquities Authority/Reprodução)

A fortaleza foi construída no topo de uma colina na Floresta de Lachish com o objetivo de garantir proteção para a cidade de Maresha, governada pelos gregos, de uma possível revolta judaica, o que acabou acontecendo. Maresha foi a capital de Edom no período helenístico.

As escavações revelaram que a fortaleza media 15 metros por 15 metros. Suas paredes foram construídas com blocos de pedra com quase 3 metros de espessura, sendo uma construção imponente até ser queimada durante a batalha entre os selêucidas e os hasmoneus.

O Hanukkah e a vitória dos macabeus

Os macabeus, também chamados de hasmoneus, eram uma dinastia de reis e líderes judeus que entraram em uma série de batalhas tentando libertar a região da Judeia dos selêucidas. Esses últimos eram governantes de origem que mantinham um reinado sobre uma parte considerável do Oriente Médio.

Especialistas dizem que restos da fortaleza comprovam histórias sobre a origem do Hanukka. (Fonte: Daily Mail/ Reprodução)Especialistas dizem que restos da fortaleza comprovam histórias da origem do Hanukkah. (Fonte: Daily Mail/Reprodução)

Mattathias Macabeus e seu filho Judas Macabeus, os responsáveis por liderar uma das principais revoltas contra os governantes gregos, são citados com respeito até hoje, especialmente pelos judeus, uma vez que colocaram sua fé acima da vida e partiram para a luta contra os "adoradores de ídolos".

Hanukkah, celebração tem origem na luta dos judeus contra seus opressores. (Fonte: Emil Aladjem Israel Antiquities Authority/ Reprodução)Hanukkah tem origem na luta dos judeus contra seus opressores. (Fonte: Emil Aladjem Israel Antiquities Authority/Reprodução)

Como parte da revolta, os hasmoneus limparam o Templo em Jerusalém e acharam óleo o suficiente para manter o Menorá (candelabro de sete braços e um dos símbolos mais importantes da fé judaica) aceso por 1 dia. No entanto, a história conta que o candelabro queimou por 8 dias consecutivos. Nesse meio-tempo, os hasmoneus foram vitoriosos sobre as forças do rei selêucida Antíoco IV Epifânio.

A partir daí, surgiram as comemorações do Hanukkah, uma celebração judaica que dura 8 dias em referência ao Menorá, que mesmo sem óleo suficiente permaneceu queimando, e à vitória judaica sobre seus opressores. Curiosamente, o Hanukkah não aparece no Antigo Testamento, mas está no Novo, em João 10:22-23.

Achados arqueológicos

De acordo com os arqueólogos, a fortaleza tinha sete quartos e dois andares. Apesar da dificuldade nas escavações e da destruição do lugar, foi possível encontrar diversos artefatos, como moedas, vigas de madeira queimadas durante a batalha, armas de ferro e cerâmicas. Alguns dos artefatos datam do fim do século II a.C.

Os arqueólogos descobriram milhares de pedras desmoronadas que revelaram escondiam centenas de artefatos datados do final do século II a.C. (Fonte: Emil Aladjem Israel Antiquities Authority/ Reprodução)Arqueólogos descobriram milhares de pedras desmoronadas que revelaram centenas de artefatos datados do fim do século II a.C. (Fonte: Emil Aladjem Israel Antiquities Authority/Reprodução)

Para os especialistas, tomando como base o que foi encontrado, existe a possibilidade de a destruição da fortaleza ter sido obra do hasmoneu John Hyrcanus, por volta de 112 a.C.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.