Seja o primeiro a compartilhar

As 6 coincidências históricas mais bizarras

A história da humanidade é repleta de coincidências bizarras, algumas tão absurdas que parecem fruto da ficção. Essas situações são tão marcantes que chamam nossa atenção a ponto de querermos saber mais a seu respeito.

Usar a mesma roupa de uma amiga em uma festa, escolher a mesma cor da camisa de um colega de trabalho, dizer uma frase igual ao mesmo tempo que um parente. É claro que nossa vida é cercada de coincidências, mas essas, definitivamente, não são as que entram para a história. Acompanhe conosco 6 das mais bizarras coincidências históricas.

1. Robert Todd Lincoln e três assassinatos presidenciais

(Fonte: Mental Floss)(Fonte: Mental Floss)

Robert Todd Lincoln era o filho mais velho do presidente republicano Abraham Lincoln — o único de seus quatro filhos que chegou à vida adulta. Ao longo de sua vida, a morte de três presidentes norte-americanos cruzou seu caminho.

O 1° assassinato de um presidente a cruzar a vida de Robert foi o do próprio pai. Em 15 de abril de 1865, quando James W. Booth matou Abraham Lincoln em um teatro, em meio à escalada das tensões causadas pela Guerra Civil, Robert estava ao lado do pai.

Posteriormente, quando o presidente James Garfield levou dois tiros nas costas na Estação Ferroviária de Baltimore e Potomac, Robert estava na estação. Vinte anos depois, em Buffalo, durante a Exposição Pan-Americana, ele chegou ao local no preciso momento em que o presidente William McKinley era baleado. Já dava para pedir música no Fantástico.

2. Irmão do assassino que salvou o filho do assassinado

(Fonte: History Net)(Fonte: History Net)

Certo, imagino que depois de ler o item acima você pense que Robert Todd Lincoln é o maior pé frio da história, correto? E se eu te disser que existe outra coincidência histórica bizarra o envolvendo?

Cerca de um ano antes do assassinato de Abraham Lincoln, as famílias tiveram suas histórias cruzadas. Em Jersey City, Robert viajava de trem de Nova York a Washington. Ele gentilmente estava abrindo espaço, próximo à porta da locomotiva, para que os passageiros entrassem. Quando ela se movimentou, ele acabou caindo nos trilhos.

Antes que uma tragédia ocorresse, um homem agarrou o filho de Lincoln pela gola de sua camisa e o retirou da linha do trem. Robert agradeceu muito ao homem, cujo nome era Edwin Booth, ninguém menos do que o irmão de James W. Booth, que assassinou seu pai no ano seguinte.

3. A “Miss Inafundável”

(Fonte: Mysteriesrunsolved)(Fonte: Mysteriesrunsolved)

Se estar no mesmo ambiente em que três assassinatos ocorreu parece surreal, imagine sobreviver a três acidentes marítimos, pois essa é exatamente a história da enfermeira argentina Violet Jessop

O primeiro dos navios da White Star Line em que esteve e passou por maus bocados foi o RMS Olympic. Em setembro de 1911, a embarcação se chocou contra o navio de guerra HMS Hawke na costa da Inglaterra. Apesar das avarias, ninguém morreu, e o cruzeiro se salvou.

No ano seguinte, ela estava a bordo de outro luxuoso cruzeiro da White Star Line, o RMS Titanic. Como sabemos, no dia 15 de abril de 1912, 4 dias após o início da viagem inaugural, o barco afundou no mar gelado do Atlântico. 

Quatro anos depois, enquanto atuava como enfermeira voluntária durante a Primeira Guerra Mundial, tornou a ver o barco em que estava, o HMHS Britannic, afundar. Dessa vez, o mar era o Egeu, e a culpa vai à conta do exército alemão.

Em 1971, aos 83 anos de idade, a "mulher inafundável" morreu de causas naturais.

4. O homem que não sucumbiu às bombas atômicas

(Fonte: Aventuras na História)(Fonte: Aventuras na História)

Mais uma história de sobrevivência. Dessa vez a pessoa é Tsutomu Yamaguchi, o homem que sobreviveu a 2 bombas atômicas em um intervalo de apenas 3 dias. E, se você acha que é mentira, saiba que Yamaguchi é a única pessoa reconhecida pelo governo japonês como sobrevivente dos 2 ataques.

Na época com 29 anos, Yamaguchi estava em Hiroshima para uma viagem de negócios quando foi surpreendido pela explosão da bomba na cidade. Decidiu, então, retornar à sua cidade, Nagasaki. 

No momento da segunda bomba, ele estava em seu escritório contando aos colegas sobre o que ocorrera em Hiroshima. Salvou-se, ainda que tenha recebido cargas de radiação ionizante. Viveu até os 93 anos, falecendo em 2010, em Nagasaki.

5. Dois responsáveis pela independência americana morreram no 50° aniversário da declaração

(Fonte: Fantastic Facts)(Fonte: Fantastic Facts)

Voltamos às mortes em nossa lista de coincidências históricas bizarras. Vamos para o século XIX, em 4 de julho de 1826, exatos 50 anos da Declaração de Independência dos Estados Unidos. Naquele dia, dois importantes nomes do processo de emancipação americano faleceram.

John Adams e Thomas Jefferson, respectivamente 2° e 3° presidentes americanos, faleceram. Separados por quase mil quilômetros, partiram. Adams se foi aos 90 anos, em Massachusetts; enquanto Jefferson faleceu aos 83, em sua propriedade na Virgínia.

6. Uma mesma cidade, 7 residentes históricos

(Fonte: Earthly Mission)(Fonte: Earthly Mission)

Sabemos que grandes cidades atraem grandes personalidades, é assim em todo lugar do mundo. Contudo, você acreditaria se dissermos que uma capital europeia abrigou, em um único ano, Josef Stalin, Leon Trotsky, Adolf Hitler, Sigmund Freud, Joseph Tito (futuro marechal iugoslavo), Francisco Ferdinando e Francisco José (imperador)?

Então, saiba que nossa última coincidência histórica bizarra ocorreu na Viena de 1913. Excetuando-se os aristocratas austríacos e Trotsky, que era anfitrião de Stalin, os demais personagens dessa coincidência não se conheciam e tampouco se cruzavam.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.