Seja o primeiro a compartilhar

O que um fotógrafo das Olimpíadas de Inverno tem em sua bolsa?

Os Jogos Olímpicos de Inverno fascinam muita gente pelo mundo todo. Ficamos encantados ao ver a coragem dos atletas que disputam esportes radicais, o que chega até nós por meio de imagens surpreendentes. Por trás disso, está o trabalho de fotógrafos e cinegrafistas que registram tudo.

Mas o que um profissional precisa para realizar uma boa cobertura dos jogos? Os materiais imprescindíveis para a captura dessas imagens incríveis são vários. O fotógrafo Tom Pennington, da equipe da Getty Images, compartilhou quais são os equipamentos que não podem faltar na sua bolsa quando ele participa desse tipo de evento.

Equipamento fotográfico para um trabalho de qualidade

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Para começar, claro, é preciso de um bom equipamento de câmera que garanta a autonomia e não deixe o fotógrafo na mão em um local onde as condições geográficas e climáticas são incertas. Pennington explica qual é o seu equipamento: “atualmente estou usando as novas câmeras sem espelho Canon R3. A lente principal é para quando estou trabalhando na montanha, ela é supertelefoto de 600 mm que também utiliza um conversor 1.4 X. Eu uso uma lente de zoom de 70-200 mm em um segundo corpo de câmera R3 e geralmente coloco um monopé de fibra de carbono para estabilizar a lente nas condições de vento em que trabalho”, ele contou.

As câmeras usadas por Tom Pennington usam baterias de lítio e são colocadas em um suporte acolchoado isolado — o objetivo é fazer que elas se mantenham aquecidas em temperaturas muito frias, ou seja, para que o fotógrafo não fique sem carga nos momentos mais cruciais. Além disso, é comum usar aquecedores de mãos para as baterias.

Roupas especiais para driblar o frio

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Mas é claro que o equipamento não é tudo nesse tipo de cobertura: o fotógrafo também tem que garantir suas condições físicas, pois enfrenta temperaturas baixíssimas. Pennington descreve como é o seu preparo nessas situações: “eu sempre arrumo camadas extras de roupas. Coloco uma jaqueta sintética e uma jaqueta para me vestir depois de esquiar na posição. Enquanto estou em posição na pista de corrida, uso crampons (pontas de metal que se prendem às botas de esqui) para ter uma base firme ao me mover em condições de gelo”.

As extremidades do corpo também precisam ficar protegidas: as mãos e os braços são os instrumentos de trabalho do fotógrafo. “Carrego uma seleção completa de diferentes tipos de luva e forro: mãos frias significam que não consigo sentir minha câmera, então não posso trabalhar”, contou Pennington. Outro cuidado com as mãos é o uso de aquecedores descartáveis, que o fotógrafo mantém nos bolsos para esquentá-las entre as corridas.

Também é preciso assegurar que o celular — que costuma ser usado tanto para editar quanto para enviar as imagens — esteja sempre com bateria. “Eu carrego uma bateria extra para o meu celular para tê-lo em funcionamento durante o dia. Um dispositivo MiFi sem fio está sempre comigo para transferir imagens diretamente da câmera à equipe de editores para editar e enviar fotos enquanto as corridas acontecem, em tempo real”, arrematou Pennington.

Por fim, o fotógrafo destaca a importância de escolher uma boa mochila para carregar todo esse equipamento e ter facilidade no transporte. Peddington conta a sua escolha: “eu guardo tudo na minha mochila ThinkTank Shape Shifter que trago comigo todas as manhãs antes de pegar o teleférico até o topo e esquiar pela pista de corrida em posição para fotografar os pilotos”. Depois de todo esse preparo, é só partir para a neve.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.