Seja o primeiro a compartilhar

6 pimentas deliciosas que todo apreciador deveria experimentar

Nem todas as pessoas são apreciadoras de uma boa pimenta, mas uma vez que você entra para essa vida... Fica difícil largá-la. Ao todo, existem mais de 50 mil variedades de pimentas espalhadas por aí, e os verdadeiros entusiastas desse alimento estão criando novas versões todos os dias.

Logo, não é tão simples assim conseguir desfrutar do sabor e ardência de cada uma delas até o final da sua vida, mas existem aquelas que você inevitavelmente precisa saborear antes de morrer, caso seja um grande admirador dos sabores picantes. Está preparado para saber quais são? Veja essa lista que separamos para você!

1. Carolina Reaper

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

A Carolina Reaper é uma pimenta desenvolvida por Ed Currie, nos Estados Unidos. Em 2017, o Guinness World Records concedeu o prêmio de pimenta malagueta mais forte do mundo para ela, que pode atingir até 1,5 milhão de pontos na escala de ardência Scoville — para métodos de comparação, uma pimenta jalapeño possui apenas 8 mil pontos.

O sabor inicial da Carolina Reaper pode parecer suave e bastante delicado, mas seu efeito final é devastador. Portanto, se você não tem o corpo muito preparado para lidar com essa belezinha, é melhor passar longe.

2. Caiena

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

A pimenta Caiena existe no mundo desde 1652. Por esse motivo, não é exatamente uma surpresa para ninguém. Na maioria dos mercados por aí, você encontrará versões dela em pó e algumas marcas usam misturas da pimenta caiena com outras variedades de pimenta.

No entanto, a versão original desse alimento possui entre 30 mil e 50 mil pontos na escala Scoville — sendo bastante ardida — e pode ser usada para fazer alguns molhos de picantes maravilhosos

3. Shishito

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

As pimentas Shishito surgiram no leste da Ásia, com classificação leve de 50 a 200 Scovilles. Cada cacho chega a possuir cerca de 20 pimentas, que variam bastante de sabor e ardência entre si. Segundo a culinária da região onde surgiu, a melhor forma de prepará-las é fritando em óleo.

Elas tendem a ser usadas como aperitivos em alguns lugares, e são servidas com bastante sal. 

4. Poblano

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

De sabor suave e defumado, a pimenta Poblano costuma acrescentar sabor diferenciado para uma grande variedade de pratos. Sua classificação Scoville gira entre 1 mil e 2 mil pontos, sendo considerada não tão forte para um paladar comum e até mesmo fraca para os amantes de pimenta.

Uma Poblano pode alcançar 15 centímetros de comprimento e 7 centímetros de largura. Uma ótima receita é recheá-las – com qualquer tipo de ingrediente que você possa imaginar.

5. Serrano

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

As pimentas Serrano são nativas da região de Hidalgo e Puebla, no México. Elas são pimentas mais ardidas do que uma jalapeño comum, variando entre 10 mil e 25 mil pontos na escala Scoville. Normalmente, elas são comidas cruas e podem ser cortadas para completar algum tipo de prato.

Muitos mexicanos costumam ralá-las e misturá-las em algum tipo de queijo para colocar sobre uma fatia de hambúrguer — criando um tempero muito especial para essa receita.

6. Habanero

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Bastante popular no mundo todo, a pimenta Habanero mede entre 150 mil e 575 mil pontos na escala Scoville. Portanto, é preciso destacar que elas não são exatamente para iniciantes. Foram batizadas em homenagem a capital de Cuba, Havana, mas não são realmente parte da culinária típica do país.

O motivo? Essa pimenta surgiu na bacia amazônica, mas seus maiores produtores atualmente estão localizados na península de Yucatán, no México. Por muito tempo, essa pimenta foi considerada a mais ardida de todas, até que a Carolina Reaper apareceu no mercado.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.