Cientistas acreditam que estas pinturas rupestres não são obras de humanos
149
Compartilhamentos

Cientistas acreditam que estas pinturas rupestres não são obras de humanos

Último Vídeo

Nós do Mega Curioso já falamos por aqui a respeito de lugares incríveis onde é possível encontrar exemplos de arte rupestre — isto é, desenhos e símbolos deixados há milhares de anos em superfícies rochosas pelos nossos ancestrais. Esses locais podem ser encontrados em várias partes do mundo, incluindo aqui no Brasil, e esses vestígios ajudam os cientistas a entender como os antigos humanos viviam.

No entanto, uma descoberta anunciada esta semana sugere que nem todos os desenhos que existem por aí foram criados por seres humanos. Mas, calma lá, caro leitor... Não vá imaginando coisas, por que ninguém falou aqui que a arte rupestre foi deixada por visitantes alienígenas que visitaram nosso planeta no passado, hein!

Artistas

Os cientistas sempre acharam que os desenhos rupestres haviam sido produzidos pelos primeiros Homo sapiens que andaram pela Terra. No entanto, análises realizadas em três sítios na Espanha apontaram que os artistas — pelo menos nesses locais — podem não ter sido os humanos.

Pintura rupestreUma das pinturas examinadas pelos cientistas (Science)

Os locais escolhidos foram as cavernas de La Pasiega, localizada na região de Cantábria, Ardales, em Málaga, e Maltravieso, situada em Cáceres, e uma porção de análises conduzidas por um time internacional de pesquisadores liderado por Dirk Hoffmann, do Departamento de Evolução Humana do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva (da Alemanha), revelou que a arte rupestre deixada nesses sítios foram criados bem antes da chegada dos primeiros humanos à Europa.

Exames reveladores

Mais especificamente, os cientistas coletaram amostras de carbonato de cálcio, isto é, de depósitos salinos encontrados sobre os desenhos rupestres que existem no interior das cavernas que mencionamos, e submeteram as partículas a um teste de datação chamado urânio-tório.

Coleta de amostrasColeta de amostras (Xataka)

Esses depósitos consistem em pequenas “crostas” que vão se formando com o passar do tempo através da percolação da água através da superfície rochosa, e a idade dos depósitos pode ser medida. Aí, como os desenhos estudados se encontram debaixo dessa camada de carbonato, se supõe que eles foram criados antes da formação das crostas, certo?

Pois os resultados apontaram que os símbolos presentes em Maltravieso foram feitos entre 65 mil e 66,7 mil anos atrás, enquanto que os que existem em La Pasiega foram criados há 64,8 mil anos, e os que estão em Ardales contam com entre 45,3 e 48,7 anos. Isso significa que esses símbolos foram gravados nas cavernas pelo menos 20 mil anos antes da chegada dos primeiros humanos àquela região da Europa. E se não foram os humanos, então quem foi?

Homo stupidus

O termo acima, que, como você deve ter deduzido, se traduz como “Homem estúpido” e, caso você nunca o tenha visto antes, ele foi proposto no século 19 pelo biólogo alemão Ernst Haeckel em referência ao (então) recém-descoberto hominídeo que, anos mais tarde, foi renomeado como Homo neanderthalensis.

Pinturas rupestresCriações dos neandertais (Xataka)

Pois é caro, leitor, quem criou os desenhos rupestres nas cavernas espanholas foram homens de neandertal e isso é notável porque, durante muito tempo, a Ciência viu esses antigos “primos” dos humanos como criaturas pouco inteligentes, cognitivamente subdesenvolvidas e inferiores ao Homo sapiens. Tanto que eles chegaram a ser conhecidos como Homo stupidus, não é mesmo?

No entanto, a datação dos desenhos é apenas outra evidência — dentre muitas outras descobertas nas últimas décadas que demonstram que os neandertais eram muito mais avançados do que se pensava e que, no fundo, eles eram muito mais parecidos conosco do que muitos estudos do passado nos levaram a acreditar.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.