Píton tenta devorar um veado inteiro na Flórida, mas acaba com indigestão
145
Compartilhamentos

Píton tenta devorar um veado inteiro na Flórida, mas acaba com indigestão

Último Vídeo

Esta não é a primeira vez que compartilhamos por aqui histórias sobre cobras que se deram mal ao tentar devorar um animal maior do que elas. Pois o caso que vamos descrever aconteceu na Flórida e, de acordo com Mindy Weisberger, do site Live Science, envolveu uma píton-birmanesa (Python bivittatus) que resolveu engolir um veado inteiro, mas acabou tendo uma baita indigestão.

Segundo o time de biólogos que examinou a píton, a cobra tinha três metros de comprimento e pesava por volta de 14 quilos — sem o veado na pança. Já o veadinho era ainda filhote e pesava perto de 16 quilos. E o que tudo isso tem de interessante? Pois, para começar, o peso do mamífero corresponde a mais de 110% do do réptil, a proporção predador-presa já documentada em uma píton-birmanesa.

Píton e veado(Environmental Science Department)

Além disso, os pesquisadores tiveram a oportunidade de fazer uma porção de observações e inclusive realizar uma necropsia nos animais, descobrindo uma porção de detalhes sórdidos sobre o fatídico encontro.

Morte dolorosa

Os biólogos encontraram a cobra viva e notaram um grande volume em seu corpo — indicando que ela havia capturado alguma presa grande. Os pesquisadores, então, transportaram a píton para uma área aberta da mata e, quando a colocaram lá, ela começou a regurgitar seu almoço. A imagem a seguir mostra o momento em que esse processo estava no “meio do caminho”:

Cobra regurgitando(Environmental Science Department)

Reparou no tamanho da boca da cobra? Os biólogos também ficaram impressionados com o tanto que essa estrutura se distendeu para expulsar o veado — e não se esqueça que ela teve que ficar enorme desse jeito enquanto a píton engolia a presa!

Os biólogos descobriram marcas de mordida da píton no pescoço do veado, assim como fraturas nas costelas e na coluna do coitadinho. Além disso, a cabeça do animal já estava parcialmente digerida, então, os cientistas acreditam que se o time não tivesse encontrado a cobra, ela poderia ter consumido a presa inteira.

De acordo com Mindy, as pítons-birmanesas são de origem asiática e estão entre as maiores cobras do mundo. Aliás, por serem tão grandes — elas podem chegar a medir por volta dos 5 metros de comprimento —, elas não têm muitos predadores naturais. Na Flórida, elas são consideradas como espécie invasora e estão se proliferando rapidamente pelo estado.

Píton com presa(Environmental Science Department)

Os biólogos acreditam que a população começou a crescer a partir de pítons adquiridas como animais de estimação que foram sendo abandonadas por seus donos nos pântanos e áreas vegetadas da Flórida, especialmente na região de Everglades.

Um fator preocupante é que no cardápio dessas cobras estão animais como aves, mamíferos e outros répteis — e o problema é que elas vêm capturando entre esses bichos espécies ameaçadas ou em perigo de extinção. Portanto, existe uma preocupação em compreender os hábitos, o desenvolvimento e a reprodução das pítons-birmanesas e, assim, controlar o aumento da população. E o que aconteceu com essa que tentou comer o veado? Segundo os biólogos, todas as fêmeas e os ovos encontrados são sacrificados pela equipe.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.