Cientistas buscam estrelas irmãs do Sol

Cientistas buscam estrelas irmãs do Sol

Último Vídeo

O Sol se formou há bilhões de anos, e junto com ele várias outras estrelas semelhantes. Não sabemos exatamente em que condições isso aconteceu, e astros que possuíram uma mesma origem hoje podem estar a muitos anos-luz de distância uns dos outros, tornando a tarefa de determinar a origem de um grupo de estrelas algo bem complicado.

Agora, um projeto chamado Arqueologia Galática promete identificar a composição de um grande número de estrelas através de um espectrógrafo chamado HERMES. Ele está localizado no Observatório Astronômico Australiano e vai analisar a composição química de 340 mil estrelas. Com esses dados, será possível comparar as propriedades dos astros analisados com as do nosso Sol, algo como um teste de DNA estelar, e dessa forma identificar possíveis estrelas irmãs dele.

1

Assim como qualquer espectrógrafo, o HERMES captura o espectro de luz de estrelas, para posteriormente determinar os elementos que compõem o astro. O grande diferencial dessa pesquisa está na eficiência do equipamento utilizado, pois o HERMES conseguirá registrar precisamente o espectro de estrelas de uma forma mais eficiente do que outros equipamentos.

Obviamente, a análise de uma quantidade tão grande de dados é quase impossível se feita manualmente. Por isso, foi desenvolvido um algoritmo capaz de reconhecer padrões nos dados registrados pelo HERMES, comparando com estrelas analisadas previamente. Assim, foi possível determinar a quantidade de cada elemento químico que deve existir em determinado astro, para que ele seja considerado irmão do Sol.

Mesmo com a automação, os astrônomos ainda têm um papel fundamental na pesquisa, pois indicam quais astros devem ser investigados. O equipamento precisa de 1 hora de observação para obter dados suficientes para análise, e é possível registrar até 360 estrelas ao mesmo tempo. Desde 2014, foram feitas 280 noites de observação, e como o objetivo é analisar 1 milhão de estrelas, ainda existe um longo caminho a se percorrer.

As análises tornarão possível relacionar estrelas com as nebulosas que deram origem a elas, aprimorando o nosso conhecimento sobre a história da galáxia. Esse conhecimento é relevante, pois sabendo quais estrelas nasceram juntas, melhoraríamos nossa compreensão sobre como a galáxia era há bilhões de anos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.