Como e por que começamos a comer peixe? Os chimpanzés podem ter a resposta

Como e por que começamos a comer peixe? Os chimpanzés podem ter a resposta

Último Vídeo

Pesquisadores da Universidade de Kyoto, no Japão, descobriram que chimpanzés na floresta tropical das Montanhas Nimba, na Guiné, possuem o hábito de caçar e comer carangueijos. É a primeira vez que um primata não humano realiza o feito não apenas por oportunismo ou pela escassez de outras fontes de alimento.

A descoberta pode ajudar a entender como e quando nossos ancestrais começaram a ter uma dieta aquática; uma mudança que pode ter levado, em última instância, ao homo sapiens.

Há evidência de que, cerca de 1.95 milhões de anos atrás, a introdução de animais aquáticos na dieta de nossos antepassados, como tartarugas, peixes e crocodilos, intensificou o desenvolvimento de cérebros maiores.

"Provavelmente, a fauna aquática consumida forneceu ácidos graxos essenciais para o crescimento e a função cerebral ideais", declarou a pesquisadora Kathelijne Koops em um comunicado.

Eles observaram os animais pescando carangueijos nos canais da floresta tropical em 2012. (Foto: Reprodução/Pixabay)

Os estudiosos analisaram seu comportamento por 2 anos e documentaram como, principalmente as fêmeas, levantavam pedras e cavavam a lama com os dedos para caçar crustáceos, e com qual frequência seriam sua refeição principal. Eles também compararam o valor nutricional dos carangueijos com outros alimentos disponíveis.

Os pesquisadores constaram que essa caça ocorria o ano todo, independentemente da abundância de outros alimentos. (Foto: Reprodução/Pixabay)

Em paralelo, os chimpanzés comiam menos formigas, uma das bases de suas dietas, sugerindo que os crustáceos desempenham o mesmo papel em sua alimentação, ou até mais.

A pesquisa revelou que a pesca não é tão restrita pelos habitats como se acreditava. (Foto: Reprodução/Pixabay)

Assim, os humanos que viviam em floresta poderiam ter uma dieta aquática, e animais aquáticos podem ter sido um elemento fundamental de sua alimentação, não somente um complemento em último recurso.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.