Petróleo que atinge o Nordeste possui substância cancerígena

Petróleo que atinge o Nordeste possui substância cancerígena

Último Vídeo

As manchas de óleo que atingem as praias nordestinas possuem substâncias invisíveis a olho nu classificadas como hidrocarbonetos poliaromáticos (HPA). A contaminação pode ocorrer por meio da pele ou da inalação de substâncias voláteis presentes no petróleo. De acordo com Anthony Wong, médico toxicologista e diretor do Centro de Assistência Toxicológica da Universidade de São Paulo (USP), o HPA é um conjunto de substâncias, compostos orgânicos aromáticos que causam diversos problemas ao organismo. "Pode afetar o sistema nervoso central, causando sonolência, depressão, irritabilidade e até lesão permanente do sistema nervoso", afirma

O médico explicou que o benzeno é uma das substâncias pertencentes ao HPA, que está presente no óleo, e é tóxico para a medula óssea, causando diminuição de glóbulos brancos e plaquetas. Quando o organismo tenta corrigir o problema, fica mais suscetível a desenvolver uma leucemia. Também há risco de câncer no rim, fígado, esôfago, estomago e bexiga. "Aqueles que tiveram contato com o óleo devem fazer um acompanhamento médico durante muitos anos para avaliar o aparecimento de doenças", diz Wong.

O petróleo começou a aparecer no Nordeste há cerca de dois meses. O navio grego Boubolina é o principal suspeito do derramamento de óleo no mar. O Ibama aponta 286 locais atingidos pelas manchas. Voluntários se organizaram para fazer a limpeza das praias, mas falta Equipamento de Proteção Individual (EPI) para proteger essas pessoas das substâncias tóxicas e canceríginas presentes no óleo.

Fonte: Joyce Farias / Greenpeace

Além do câncer, o HPA pode causar outros problemas. Alguns municípios registraram casos de intoxicação de voluntários por causa do contato com o petróleo. Os sintomas são: febre, náuseas, dor de cabeça, mal-estar e diarréia. Cientistas explicam que mesmo com a limpeza da praia o óleo continua impregnado na areia, rochas e manguezais. São subtâncias invisíveis, mas que estão presentes, podendo causar câncer a longo prazo.

Impactos ambientais

Fonte: Ibama

Além dos problemas de saúde aos humanos, há impactos na fauna e flora causados pelas manchas de óleo. Um relatório divulgado pelo Ibama, no dia, 31 de outubro, afirma que 110 animais foram encontrados sujos de óleo, sendo que 81 estavam mortos. Além disso, biólogos apontam que arrecifes, mangues e solos rochosos sofrerão impactos e são locais que nunca serão recuperados.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.