Estrutura de metal capaz de flutuar é desenvolvida em Nova York

Estrutura de metal capaz de flutuar é desenvolvida em Nova York

Último Vídeo

Em um projeto realizado pela Universidade de Rochester, o pesquisador e professor de física Chunlei Guo liderou os estudos para o desenvolvimento de um metal capaz de flutuar sobre a água. A formação dessa estrutura conta com duas placas de alumínio paralelas unidas através de explosões concentradas de raios laser superpotentes capazes de manter determinada concentração de ar, tornando-as hidrofóbicas. Durante os testes, mesmo com perfurações, o material manteve-se na superfície até determinado período.

Reprodução: Universidade de Rochester/ Créditos: J. Adam Fenste

Em fase experimental, as peças começaram a perder as propriedades hidrofóbicas após aproximadamente dois meses — mas, surpreendentemente, voltaram à superfície depois de certo período. Segundo o pesquisador, embora a peça tenha sido criada com alumínio, outros tipos de metais podem ser aplicados. Acredita-se que a evolução desde material possa ser utilizado em diferentes finalidades, como na construção de navios ou outros dispositivos que necessitem flutuar.

Reprodução: Popular Mechanics/ Fonte: Imagem: Rochester

Inspiração para o projeto: aranha-sino e formigas-de-fogo

Guo afirma que parte da inspiração para a realização do projeto veio do estudo de animais que possuem a capacidade de viver sobre a água. A aranha-sino, também conhecida como aranha-da-água, é uma dessas espécies. O aracnídeo é capaz de criar teias subaquáticas semelhantes a um sino que sobem à superfície para obter ar e permitir que ela viva embaixo da água. A ideia veio também das formigas-de-fogo, que criam um sistema de bolsas de ar abaixo de seus corpos permitindo que elas não afundem na água e sobrevivam neste ambiente durante dias.

Reprodução: Mega Curioso

"Essa foi uma inspiração muito interessante. A principal ideia é que superfícies super-hidrofóbicas multifacetadas possam capturar um grande volume de ar, o que aponta para a possibilidade de usar essas superfíciespara criar dispositivos flutuantes", conclui Guo.

A pesquisa segue em curso com a finalidade de aprimorar a estrutura e torná-la capaz de manter-se flutuante em outros tipos de materiais e por períodos maiores.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.