Covid-19: USP e Fiocruz pesquisam anticorpos para vacina

Covid-19: USP e Fiocruz pesquisam anticorpos para vacina

Último Vídeo

Em Ribeirão Preto (SP), cientistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da Universidade de São Paulo (USP) trabalham juntos para criar uma vacina contra o novo coronavírus. Ainda em estudos iniciais, os pesquisadores estão analisando antígenos vacinais. 

Os pesquisadores também trabalham na busca por anticorpos que possam neutralizar o vírus em sua fase mais aguda, o que pode ajudar no tratamento das pessoas infectadas. 

Tratamento de outras doenças

A Fiocruz também desenvolve pesquisas para o tratamento do Zika Vírus e da Chikungunya. (Fonte: Pixabay)A Fiocruz também desenvolve pesquisas para o tratamento do Zika Vírus e da Chikungunya. (Fonte: Pixabay)

Além dos estudos sobre o novo coronavírus, existem pesquisas sobre doenças que assolam o Brasil há mais tempo. A Fiocruz trabalha para desenvolver uma vacina contra a malária por meio de estudos sobre a biologia da doença. 

Em pesquisas mais adiantadas, os cientistas estão desenvolvendo anticorpos para auxiliar no tratamento da fase aguda da Zika Vírus e da Chikungunya, que são transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. Com resultados neutralizantes dos anticorpos, a pesquisa pode resultar num possível remédio. 

Outra vacina para o novo coronavírus

A vacina desenvolvida pela empresa vai ser testada em camudongos. (Fonte: Pixabay)A vacina desenvolvida pela empresa vai ser testada em camudongos. (Fonte: Pixabay)

Em Ribeirão Preto, uma empresa também conduz um estudo importante para combater a covid-19. De acordo com informações da Prefeitura de Ribeirão Preto, em coletiva de imprensa, a Farmacore Biotecnologia atua juntamente com 150 outras empresas do mundo inteiro para o desenvolvimento de uma vacina contra a doença.

Utilizando proteínas do novo coronavírus, a vacina deve começar a ser testada em camundongos a partir de julho. Depois de passar por essa fase, a vacina precisará passar pelos ensaios clínicos, etapa na qual precisa ser testada em seres humanos. Se tudo der certo, os testes com humanos poderão ser realizados em setembro. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.