Seja o primeiro a compartilhar

Estudo revela que formato do Sistema Solar parece um cometa

Aprendemos desde os primeiros anos escolares que o Sistema Solar é como uma estrutura circular, com o Sol ao centro e os planetas em órbitas redondas ao seu redor. No entanto, a realidade parece ser bem diferente.

Um estudo realizado a partir de dados da missão Interstellar Boundary Explorer (IBEX) da NASA mostra que a heliosfera, região de influência do Sol com 23 bilhões de quilômetros de diâmetro, se parece muito mais a uma cauda de cometa do que um círculo perfeito.

A pesquisa durou 11 anos e foi capaz de analisar as mudanças de limites e a influência dos ventos solares durante um ciclo solar completo. As informações coletadas ajudam a entender como todo o nosso Sistema Solar, inclusive a heliosfera, se move através do espaço interestelar.

Características da heliosfera

(Fonte: NASA/Divulgação)(Fonte: NASA/Divulgação)

A missão IBEX revelou importantes características a zona de influência do Sol. A heliosfera apresenta uma cauda prolongada, semelhante à de um cometa. Essa formato é causado por um forte campo magnético interestelar associado a uma alta pressão das partículas na região.

O trabalho também mostrou que os limites da heliosfera estão muito mais próximos na direção do movimento do Sistema Solar. As fronteiras são menores nas proximidades do "polo sul" do Sol do que do "polo norte".

A equipe observou uma mudança significativa de formato da heliosfera no período de 2009 a 2014. A zona de influência do Sol se contraiu quando o fluxo de vento solar era lento e constante. Com o pico da atividade solar em 2014, os ventos solares aumentaram em cerca de 50% por alguns anos, o que levou a heliosfera expandir-se.

Outras descobertas

A missão IBEX também descobriu uma anomalia de partículas interestelares na fronteira. A descoberta ficou conhecido como faixa IBEX, um mistério de longa data na física interestelar. Essas partículas viajam de fora para dentro da heliosfera e podem revelar informações importantes sobre a influência do Universo no Sistema Solar.

As imagens da missão ainda são insuficientes para compreender a influência dessas partículas, mas as dúvidas podem começar a ser sanadas em breve. A Sonda de Mapeamento e Aceleração Interestelar (IMAP) será lançada no final de 2024 para ajudar a compreender as características da faixa IBEX.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.