Cemitério histórico com mais de 1,5 mil corpos é achado no Japão

Cemitério histórico com mais de 1,5 mil corpos é achado no Japão

Último Vídeo

Durante escavações em Osaka, no Japão, arqueólogos identificaram um cemitério histórico com mais de 1,5 mil corpos enterrados. Datadas do período Edo (1603-1867), as covas foram localizadas em um local planejado para a construção de quatro arranha-céus que vem sendo alvo de reformas e restaurações desde 1991, após o fechamento de um acordo entre o governo e a instituição Osaka Cultural Heritage Association.

A descoberta da Tumba de Umeda configura um dos mais importantes achados da equipe de escavação do país, conseguindo desenterrar vestígios históricos considerados raros devido à dispersão e à área inicialmente planejada para receber os corpos. O túmulo é uma das partes dos cemitérios de Umedahaka, que se espalharam por Osaka durante os séculos XVII a XIX.

(Fonte: Associação de Propriedades Culturais da Cidade de Osaka/Reprodução)(Fonte: Associação de Propriedades Culturais da Cidade de Osaka/Reprodução)

“Os restos escavados, incluindo ossos humanos, estão atualmente em processo de classificação e análise”, disse o comunicado da Associação de Propriedades Culturais da Cidade de Osaka. “Além dos humanos, animais também estão enterrados no cemitério, com quatro porcos na parte norte do cemitério e dois cavalos na parte sul. Um osso de gato contido em um esqueleto também foi encontrado".

Umedahaka e a compreensão social da época

Segundo os pesquisadores, o cemitério possuía uma divisão que classificava os corpos em alas. Curiosamente, os que estavam aglomerados na ala norte não foram enterrados com itens pessoais, algo estranho se relacionado com as tradições da época. Dessa forma, os escavadores acreditam que foram separados dos sulistas por serem integrantes das classes sociais não privilegiadas da sociedade japonesa.

(Fonte: Associação de Propriedades Culturais da Cidade de Osaka/Reprodução)(Fonte: Associação de Propriedades Culturais da Cidade de Osaka/Reprodução)

(Fonte: Associação de Propriedades Culturais da Cidade de Osaka/Reprodução)(Fonte: Associação de Propriedades Culturais da Cidade de Osaka/Reprodução)

Quanto aos que se destacavam no sul, artefatos e outros itens de valor foram identificados próximos às covas, sugerindo que os cidadãos foram enterrados separadamente dos nortistas devido à condição social de riqueza, agora em caixões apropriados para cada indivíduo. Dentre os restos, foram encontrados cachimbos, potes, moedas de ouro e uma tábua mortuária budista.

Enquanto os pesquisadores estudam as causas que podem ter levado grupos de pessoas a serem enterrados no local, as obras de construção dos prédios, previstas para concluírem em 2024, estão paralisadas.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.