Coronavírus: estudo genológico aponta mutação lenta do vírus

Coronavírus: estudo genológico aponta mutação lenta do vírus

Último Vídeo

Um estudo publicado, na última segunda-feira (14), no jornal News Scientist revelou, que assim como qualquer outra entidade biológica, o SARS-CoV-2 tem uma árvore genealógica e, por meio dela, foi possível detectar sua evolução.

Segundo o artigo, o causador da covid-19 apresenta aproximadamente duas alterações por mês em seu genoma. Esta informação permite que os pesquisadores a acompanhem sua propagação.

(Fonte: Alamy/Kiyoshi Takahase Segundo/Reprodução)(Fonte: Alamy/Kiyoshi Takahase Segundo/Reprodução) Segundo o texto, muito do que sabemos sobre o novo coronavírus vem de análises genéticas. A primeira sequência completa do genoma foi de um paciente que trabalhava em um mercado de frutos do mar na cidade chinesa de Wuhan e que foi internado no hospital em 26 de dezembro de 2019 com sintomas da doença.

No Brasil, o vírus já infectou 4.455.386, pessoas. Deste montante, 134.935 morreram e 3.753.082 já se recuperaram, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.