'Rio escuro' formado pelo degelo pode estar fluindo sob a Groenlândia

Cientistas da Universidade de Hokkaido, no Japão, estão intrigados com a existência de um misterioso “rio escuro” localizado sob a superfície da Groenlândia. Formado pelo derretimento do gelo na região, as águas aparentemente correm por quase 1 mil quilômetros de extensão, encerrando no Fiorde Petermann, ao longo da costa norte da ilha.

O estudo, publicado na revista The Cryosphere, busca preencher algumas lacunas significativas que surgiram nos últimos anos, durante a realização de pesquisas sobre o comportamento das águas em regiões de impacto de alterações climáticas. Também chamados de “megacânions”, os vales nas profundezas de geleiras poderiam estar escondendo muito mais do que os radares conseguem encontrar, ocultando possíveis conexões existentes ou fenômenos envolvendo o fluxo de rios subterrâneos.

As novas pesquisas, realizadas com um sistema de mapeamento capaz de investigar o leito rochoso localizado em até 4,8 milhas de profundidade das geleiras, contaram com a ajuda de uma espécie de “experimento mental”, onde os estudiosos Christopher Chambers e Ralf Greve passaram a explorar as possibilidades do chamado Dark River não se dividir em subseções, como estava previsto em análises anteriores, mas sim correr de forma contínua.

(Fonte: Live Science/Reprodução)
(Fonte: Getty Images/Reprodução)

“Os resultados são consistentes com um longo rio subglacial, mas apresentam uma incerteza exagerada”, diz Chambers, em nota. “Por exemplo, não sabemos quanta água, se houver, está disponível para fluir ao longo do vale e se realmente sai no Fiorde Petermann ou é recongelado, ou foge do vale ao longo do caminho.” 

As hipóteses sobre o Dark River

Com as conclusões alcançadas, os cientistas passaram a seguir um modelo ideal para o fluxo do rio escuro, traçando hipóteses de que ele seria contínuo, plano e sem qualquer tipo de bloqueio impedindo sua passagem. Além disso, simulações indicaram que a hidrovia se direciona do interior da Groenlândia até o fiorde com base de vale nivelada em 500 metros abaixo do nível do mar.

As respostas do modelo surgem como os primeiros grandes passos para comprovar a existência do “dark river”, que pode surgir como um grande cenário e objeto de estudo para alavancar as pesquisas sobre as alterações climáticas, tendo em vista o impacto real do aquecimento global no derretimento das camadas de gelo e aumento do nível do mar.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.