3 incríveis descobertas sobre buracos negros feitas em 2020

Não foi apenas a pandemia do novo coronavírus que despertou novas descobertas no campo da ciência. Em 2020, físicos de diversas partes do mundo fizeram grandes avanços para compreender um dos fenômenos mais intrigantes sobre o universo que nos rodeia: os buracos negros.

Por isso, nós criamos uma retrospectiva com três descobertas únicas e excitantes apresentadas nos últimos meses para você entrar numa jornada de conhecimento. Se liga aí!

1. Prêmio Nobel

(Fonte: NASA)
(Fonte: NASA/Reprodução)

Como prova de que 2020 foi marcado pelos buracos negros, o Prêmio Nobel de Física deste ano foi entregue para profissionais que dedicaram suas vidas a compreender a profundidade desse tópico.

Roger Penrose, da Universidade de Oxford, recebeu metade da premiação por ter descoberto que a formação destas regiões espaicias é “uma previsão robusta da teoria da relatividade”. 

Já a outra metade foi entregue a Andrea Ghez, da Universidade da Califórnia, e Reinhard Genzel, da Universidade de Bonn, que juntos encontraram um objeto compacto supermassivo no centro de nossa galáxia.

2. Colisão de buracos negros

(Fonte: LIGO)
(Fonte: LIGO/Reprodução)

Conhecido pela sigla LIGO, o Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser identificou a maior colisão entre buracos negros de toda a história durante o ano de 2020. 

Em maio, o centro de observação científica anunciou que o choque entre estes buracos envolveu um de massa 85 vezes maior que a do nosso Sol e outro 66 vezes maior, que juntos formaram um novo com massa de 142 vezes superior ao da estrela central do nosso Sistema Solar.

Essa, inclusive, é a primeira vez que astrônomos conseguiram identificar buracos negros de tamanhas proporções.

3. Buraco negro vizinho

(Fonte: L. Calçada/ESO)
(Fonte: L. Calçada/ESO/Reprodução)

Estar perto de um buraco negro não é exatamente um cenário ideal, visto que sua enorme força gravitacional é capaz de sugar qualquer objeto que se atreva a passar ao seu lado. Entretanto, certos tipos de descoberta não podem passar batido.

Em maio, astrônomos do Observatório La Silla, no Chile, descobriram o mais próximo da Terra até o momento. Utilizando o telescópio MPG/ESO, o objeto chamado de HR 6819 foi encontrado há mil anos-luz do nosso planeta ao sul da constelação de Telescopium.

Apesar do objeto em si não poder ser observado diretamente pelo olho humano, os cientistas puderam comprovar sua existência através da sua influência sobre os outros astros da constelação. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.